Aliada e ré em 1º processo de Cunha na Lava Jato vira secretária de Pezão no RJ

Do UOL, no Rio

  • Divulgação

    Solange Almeida (esq.) ao lado do governador Pezão quando era prefeita

    Solange Almeida (esq.) ao lado do governador Pezão quando era prefeita

Uma ré em processo da operação Lava Jato e aliada de Eduardo Cunha (PMDB) é a mais nova secretária do governo do Rio de Janeiro. O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) nomeou na sexta-feira (10) Solange Almeida (PMDB) para chefiar a recém-criada Secretaria de Apoio à Mulher e ao Idoso.

Solange é ex-deputada federal e ex-prefeita de Rio Bonito (RJ). Em agosto de 2015, ela foi denunciada pela PGR (Procuradoria Geral da República) pois teria integrado um esquema para recebimento de propinas relacionadas a negócios da Petrobras montado por Cunha. A denúncia foi aceita pelo STF (Supremo Tribunal Federal) em março do ano passado.

Segundo o MPF, Solange, quando ainda era deputada, teria protocolado requerimentos de informações no TCU (Tribunal de Contas da União) e no Ministério de Minas e Energia para pressionar empresas e executivos a pagarem propina a Cunha.

Cunha é acusado de pedir uma espécie de comissão de US$ 5 milhões (cerca de R$ 15 milhões) para intermediar a compra de navios-sonda da Samsung pela Petrobras. De acordo com as investigações, a Samsung pagaria essa comissão a Júlio Camargo, operador do esquema e delator da Lava Jato.

Os pagamentos passaram a não ser feitos como o combinado. Cunha, então, teria acordado com Solange uma forma de pressionar a Samsung. Para o MPF, Cunha preparou requerimentos com pedidos de informação sobre Julio Camargo e a Samsung. Solange só os protocolou. Ela e Cunha negam.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos