Operação Lava Jato

PSDB defende Aécio e critica "vazamento seletivo" da Lava Jato

Do UOL, em São Paulo

  • Fernanda Carvalho/O Tempo/Estadão Conteúdo

    Aécio Neves nega que tenha recebido propina da Odebrecht

    Aécio Neves nega que tenha recebido propina da Odebrecht

Em nota divulgada no final da tarde deste domingo (2), lideranças tucanas defendem o senador Aécio Neves (PSDB-MG), apontado como destinatário de uma propina supostamente depositada em uma conta em Nova York administrada por usa irmã, Andrea Neves, de acordo com reportagem publicada na sexta-feira (31) pela revista "Veja".

A nota é assinada por alguns dos principais nomes do PSDB, a exemplo do governador Geraldo Alckmin (São Paulo) e ministros do governo Temer, como Aloysio Nunes (Relações Exteriores) e Bruno Araújo (Cidades), que já tiveram seus nomes citados na Operação Lava Jato. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também aparece entre os signatários.

O texto critica a publicação da reportagem -- "que gerou perplexidade" -- e afirma que o advogado do delator citado, o ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura Benedito Junior, negou que o conteúdo faça parte da delação de seu cliente.

A nota prossegue que o partido defende a "Lava Jato e o combate sem tréguas à corrupção que mina as instituições".

Mas afirma ser "inaceitável a prática de vazamentos seletivos e mentirosos que encontram eco em práticas editoriais e jornalísticas pouco responsáveis".

O texto acrescenta que "esses vazamentos, movidos por propósitos obscuros, buscam lançar uma névoa sobre a vida pública brasileira manchando injustamente a imagem de pessoas de bem. Retiram de seus alvos o direito à ampla defesa, ferindo frontalmente a própria constituição".

As lideranças do PSDB pedem que seja retirado o sigilo das delações dos executivos da Odebrecht.

Conta em Nova York

A revista "Veja", que afirmou ter tido acesso ao conteúdo da delação de Benedicto Junior, ex-­pre­sidente da Odebrecht Infraestrutura. A delação foi homologada pelo Supremo Tribunal Federal.

A propina teria sido depositada em uma conta de Nova York, administrada pela irmã do senador, a jornalista Andreia Neves.

BJ, como é conhecido o executivo, afirmou, segundo a revista, que os pagamentos a Aécio foram "contrapartida" ao atendimento de interesses da empreiteira em obras como a da Cidade Administrativa, em Minas, e da usina de Santo Antônio, em Rondônia, onde a Cemig (estatal mineira) integrou um consórcio.

Em vídeos divulgados pelas redes sociais, Aécio e Andrea negaram as informações publicadas pela revista. 

Leia abaixo o texto da nota na íntegra:

"NOTA DAS LIDERANÇAS DO PSDB

Reportagem de capa divulgada pela revista Veja desta semana com falsas acusações ao presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, gerou perplexidade em todo o país, especialmente após o advogado do delator informar que o conteúdo divulgado não faz parte da delação de seu cliente.

O PSDB nasceu na luta pela liberdade, pela democracia, pela transparência, pela ética e pela Justiça. É por isso que defendemos a Lava Jato e o combate sem tréguas à corrupção que mina as instituições. E nessa travessia difícil e complexa um compromisso é absolutamente essencial: a busca da verdade.

Porém é inaceitável a prática de vazamentos seletivos e mentirosos que encontram eco em práticas jornalísticas pouco responsáveis. Esses vazamentos, movidos por propósitos obscuros, buscam lançar uma névoa sobre a vida pública brasileira manchando injustamente a imagem de pessoas de bem. Retiram de seus alvos o direito à ampla defesa, ferindo frontalmente a própria Constituição.

A retirada do sigilo sobre os inquéritos e delações no âmbito da Lava Jato torna-se fundamental para que a verdade possa emergir a partir do contraditório no legítimo e transparente processo judicial. E, assim, inocentes sejam preservados e corruptos, punidos. Não há democracia e República sólidas com cidadãos fragilizados em seus direitos constitucionais básicos.

Por tudo isso, nós, governadores, senadores, deputados federais e demais lideranças do PSDB, manifestamos com firmeza e indignação nosso repúdio ao ataque covarde e mentiroso sofrido pelo nosso presidente nacional, senador Aécio Neves, com base em informações falsas e absurdas.

O senador Aécio Neves tem 30 anos de dedicação à vida pública. É inadmissível a tentativa de misturá-lo com o mar de lama de corrupção sem precedentes apurado pela Lava Jato e por ele próprio denunciado em 2014.

Estamos seguros de que, ao final, ficará demonstrada a falsidade dos fatos relatados e seus autores responsabilizados.

Pela Justiça e em respeito ao Estado Democrático de Direito, assinamos:

Fernando Henrique Cardoso, presidente de honra do PSDB
Beto Richa, governador do Paraná
Geraldo Alckmin, governador de São Paulo
Marconi Perillo, governador de Goiás
Pedro Taques, governador do Mato Grosso
Reinaldo Azambuja, governador do Mato Grosso do Sul
Simão Jatene, governador do Pará
Paulo Bauer, Líder do PSDB no Senado
Ricardo Tripoli, Líder do PSDB na Câmara
Antonio Imbassahy, ministro da Secretaria de Governo
Aloysio Nunes Ferreira, ministro das Relações Exteriores
Bruno Araújo, ministro das Cidades
Luislinda Valois, ministra dos Direitos Humanos
José Aníbal, presidente do ITV"

"

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos