Para amenizar atrito, Temer promove jantar no Jaburu com cúpula do DEM

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

  • Pedro Ladeira/Folhapress

    18.jul.2017 - O presidente Michel Temer deixa jantar com o presidente da Câmara Rodrigo Maia

    18.jul.2017 - O presidente Michel Temer deixa jantar com o presidente da Câmara Rodrigo Maia

Em uma nova tentativa de amenizar atritos entre o Planalto e o DEM, o presidente da República, Michel Temer (PMDB), vai promover um jantar nesta quarta-feira (19) no Palácio do Jaburu com a cúpula do Democratas, entre eles, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ).

Também deverão comparecer ao jantar os ministros Mendonça Filho (Educação; deputado licenciado do DEM), Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo), Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência), e o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), além do líder do partido na Câmara, Efraim Filho (PB).

Nesta quarta pela manhã, Michel Temer se reuniu com o vice-líder do DEM na Câmara, deputado federal Pauderney Avelino (DEM-AM), no Palácio do Planalto. Ele negou que ainda haja qualquer desentendimento entre os partidos, disse que houve uma "falsa crise" e qualquer atrito entre peemedebistas e democratas é "página virada".

"Nós entendemos que já há uma página virada deste episódio, uma vez que consta o presidente não convidou parlamentares para ingressarem no partido dele nem tentou dissuadir deputados a virem para o Democratas", disse.

Embora os aliados do presidente Temer façam questão de minimizar o atrito gerado pela busca de atrair deputados descontentes do PSB ao PMDB, com os quais o DEM já vinha conversando há semanas, nos bastidores a questão ainda não está totalmente resolvida.

"O primeiro passo foi dado ontem. Mas essas conversas são demoradas. Não se resolve de uma hora para outra", afirmou um assessor do Planalto.

Entenda o atrito

Todo o desconforto começou com a ida de Michel Temer à casa da líder do PSB na Câmara, deputada Tereza Cristina (MS), na manhã desta terça (18) para tentar levar os deputados descontentes com o partido ao PMDB, do qual faz parte e foi presidente nacional por ao menos 15 anos, e evitar com que fossem para o DEM. O grupo é formado de 9 a 12 parlamentares.

Segundo um dos presentes à conversa, Michel Temer perguntou sobre a mudança partidária de membros do PSB para o DEM e falou que o PMDB estaria disposto a acolher esses parlamentares. Após se encontrarem com Temer, porém, alguns integrantes do PSB participaram de uma reunião com Rodrigo Maia, que negocia há semanas a filiação dos prováveis dissidentes da sigla. A intenção do presidente da Câmara seria ampliar a bancada do DEM.

Toda a movimentação teria desagradado Maia e criado um mal-estar com Temer. Assim, o presidente da República pediu ao ministro da Educação, Mendonça Filho, deputado licenciado do DEM, que arranjasse um jantar na noite desta terça para "aparar as arestas", segundo um assessor do Planalto.

Ao sair da residência oficial da Câmara, o ministro da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, responsável pela articulação política, afirmou que foi uma conversa "entre bons amigos e homens públicos exemplares".

Já o líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), falou que há "muito ruído" e pessoas que tentam "jogar um contra outros". Segundo ele, a maturidade de Temer e Maia não permitirá que a relação entre eles seja prejudicada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos