PUBLICIDADE
Topo

Política

Veja como votou cada senador em decisão envolvendo Aécio que desafia STF

Do UOL, em São Paulo

28/09/2017 15h03Atualizada em 28/09/2017 17h57

Os senadores decidiram nesta quinta-feira (28) que analisarão em plenário o afastamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) do exercício do mandato e seu recolhimento noturno determinados pelo STF (Supremo Tribunal Federal). Com a medida, o Senado vai desafiar mais uma vez o tribunal, posto que a decisão da Corte deve, em tese, ser cumprida.

Os ministros da 1ª Turma do STF decidiram na terça-feira (26), por três votos a dois, determinar novamente o afastamento de Aécio do exercício do mandato. Os ministros também negaram, por unanimidade, o pedido de prisão contra o senador feito pela PGR (Procuradoria-Geral da República).

A decisão da 1ª Turma também determina que Aécio entregue seu passaporte, não saia do país e permaneça em recolhimento noturno, ou seja, que fique obrigado a permanecer em sua residência à noite. O senador também está proibido de entrar em contato com outros investigados no mesmo processo a que responde.

Aécio é investigado, e foi denunciado por corrupção passiva e obstrução de Justiça, com base nas delações da JBS. O senador foi gravado por executivos da JBS negociando um repasse de R$ 2 milhões. Ele afirma que se tratou de um empréstimo pessoal e não houve irregularidade.

Nesta quinta-feira, líderes apresentaram um requerimento com pedido de urgência para que o caso de Aécio fosse votado em plenário. O pedido foi aprovado, no entanto, ficou acertado que a votação da matéria deverá acontecer somente na próxima terça-feira (3) por haver poucos senadores na Casa hoje.

O requerimento de urgência acabou sendo aprovado por 43 votos a favor, 8 contra e uma abstenção. Eunício Oliveira, por ser presidente do Senado, não vota. O quórum ficou em 53 senadores. Veja como os senadores votaram.

PMDB

A favor:
Dário Berger (PMDB-SC)
Edison Lobão (PMDB-MA)
Eduardo Braga (PMDB-AM)
Fernando Coelho (PMDB-PE)
Elmano Férrer (PMDB-PI)
Hélio José (PMDB-DF)
José Maranhão (PMDB-PB)
Marta Suplicy (PMDB-SP)
Renan Calheiros (PMDB-AL)
Roberto Requião (PMDB-PR)
Raimundo Lira (PMDB-PB)
Romero Jucá (PMDB-RR)
Simone Tebet (PMDB-MS)
Valdir Raupp (PMDB-RO)
Waldemir Moca (PMDB-MS)

PSDB

A favor:
Antonio Anastasia (PSDB-MG)
Ataídes Oliveira (PSDB-TO)
Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)
Dalirio Beber (PSDB-SC)
Eduardo Amorim (PSDB-SE)
Flexa Ribeiro (PSDB-PA)
José Serra (PSDB-SP)
Paulo Bauer (PSDB-SC)
Ricardo Ferraço (PSDB-ES)

PT

Contra:
José Pimentel (PT-CE)
Paulo Paim (PT-RS)

A favor:
Humberto Costa (PT-PE)
Jorge Viana (PT-AC)

DEM

A favor:
Davi Alcolumbre (DEM-AP)
José Agripino (DEM-RN)
Maria do Carmo Alves (DEM-SE)
Ronaldo Caiado (DEM-GO)

PP

A favor:
Ana Amélia (PP-RS)
Benedito de Lira (PP-AL)
Roberto Muniz (PP-BA)
Wilder Morais (PP-GO)

PSB

Contra:
Antônio Valadares (PSB-SE)
João Capiberibe (PSB-AP)

A favor:
Roberto Rocha (PSB-MA)

Pode

Contra:
Alvaro Dias (Pode-PR)
José Medeiros (Pode-MT)

Rede

Contra:
Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

PR

A favor:
Magno Malta (PR-ES)
Vincentinho Alves (PR-TO)

PPS

A favor:
Cristovam Buarque (PPS-DF)

PRB

A favor:
Eduardo Lopes (PRB-RJ)

PTC

A favor:
Fernando Collor (PTC-AL)

PSD

A favor
Lasier Martins (PSD-RS)

PSD

A favor:
Osmar Aziz (PSD-AM)

PR

A favor:
Wellington Fagundes (PR-MT)

PTB

Abstenção:
Armando Monteiro (PTB-PE)

Sem partido

Contra:
Reguffe (DF)

Política