Topo

Eduardo Bolsonaro vai assumir a presidência do PSL em São Paulo

Deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) - Reprodução/Rede TV
Deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) Imagem: Reprodução/Rede TV

Do UOL, em São Paulo

01/05/2019 18h43

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) informou hoje que vai assumir a presidência de seu partido em São Paulo.

De acordo com o parlamentar suas principais missões são a de organizar a agremiação para as eleições municipais do ano que vem, resolver pendências com a Justiça Eleitoral e implementar uma agenda de compliance para escolher candidatos no estado.

PRESIDÊNCIA DO PSL EM SÃO PAULO Informo que assumirei o comando do PSL em São Paulo. Minhas principais missões serão: organizar o partido para as eleições municipais de 2020, extinguir eventuais pendências que existam na justiça eleitoral e realizar um filtro com ajuda de compliance e da Adv. Karina Kufa na definição dos quadros locais. Ciente de que a missão do partido é proporcionar que pessoas identificadas com as bandeiras conservadoras e de economia liberal tenham a chance de fazer política de dentro dos poderes legislativo e executivo. Quem escolhe os representantes é a sociedade, não o partido. Aqueles que se destacam no trabalho com as bases merecem a chance de disputar as eleições. Não há outro interesse nesta empreitada. A missão não será fácil, exigirá muita energia e tempo, para tanto conto também com meu ex-assessor e atual deputado estadual, líder do PSL na Alesp, Gil Diniz (PSL-SP) que vai me ajudar nesta tarefa de conexão com os 645 municípios do estado de São Paulo. Conto com ele não por ser deputado, mas sim por uma questão de confiança, por ter rodado o estado comigo há alguns anos e ser conhecedor da política estadual. Sei que é difícil controlar tantos municípios e qualquer problema que envolva a menor das cidades há o risco de respingar no nome Bolsonaro. Porém, estamos diante de uma oportunidade única em que é preciso coragem para executar os planos que tanto defendemos. Sendo assim, não podemos permitir que essa oportunidade de se firmar um partido de direita vá por água abaixo. Feliz pela indicação de meu nome e com gás para aceitar o desafio vamos adiante! Brasil acima de tudo, Deus acima de todos.

Uma publicação compartilhada por Eduardo Bolsonaro (@bolsonarosp) em

"Sei que é difícil controlar tantos municípios e qualquer problema que envolva a menor das cidades há o risco de respingar no nome Bolsonaro. Porém, estamos diante de uma oportunidade única em que é preciso coragem para executar os planos que tanto defendemos", afirmou o deputado, em uma publicação na rede social Instagram.

"Não podemos permitir que essa oportunidade de se firmar um partido de direita vá por água abaixo."

Eduardo Bolsonaro afirmou que conta com ajuda de seu ex-assessor e atual deputado estadual Gil Diniz. Ele é líder do PSL na Assembleia Legislativa.

Antecessor do filho do presidente na função, o senador Major Olímpio (PSL-SP) afirmou ao jornal O Globo que a mudança já estava prevista desde o fim das eleições do ano passado. Ele afirmou que precisa mais tempo para se dedicar ao seu mandato.

"Não teve conflito, pressão, nada. Minha agenda de senador virou uma tragédia, administrar um partido é uma mão de obra danada, há disputa por espaço em todas as cidades", disse Olímpio.

Mais Política