PUBLICIDADE
Topo

Alerj ignora polêmica e concede maior honraria do Rio a Sergio Moro

O ministro da Justiça, Sergio Moro - Reprodução/GloboNews
O ministro da Justiça, Sergio Moro Imagem: Reprodução/GloboNews

Gabriel Sabóia

Do UOL, no Rio

12/06/2019 16h28

Em meio às revelações sobre trocas de mensagens entre o então juiz federal Sergio Moro e a força-tarefa da Lava Jato, a Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) concedeu hoje a Medalha Tiradentes ao atual ministro da Justiça e Segurança Pública.

A maior condecoração do Rio de Janeiro a Moro foi aprovada por 27 votos a 6, a pedido da deputada Alana Passos (PSL). Ainda não há data para que o ministro receba a homenagem.

Questionamentos à atuação política do ministro foram mencionados pela bancada do PSOL. "O ministro cumpriu um desserviço à democracia, quando, em nome do combate à corrupção, extrapolou suas atribuições legais e transformou um processo penal em um processo inquisitorial", disse Flávio Serafini (PSOL), um dos poucos parlamentares a se posicionarem de forma contrária à homenagem.

A fala dele foi rebatida por outro deputado da bancada do PSL --partido do presidente Jair Bolsonaro. "Ele [Moro] é um homem que entrou para a história por enfrentar a maior quadrilha que o mundo já teve o desprazer de conhecer. Parabéns ao ministro Moro. Reitero meu apoio à Lava Jato, ao procurador Deltan Dallagnol e a todos os envolvidos na Operação Lava Jato", disse em referência às trocas de mensagens reveladas pelo site The Intercept Brasil.

Bolsonaro também esteve com Moro em condecoração

Ontem, durante o primeiro encontro com Moro desde o vazamento das mensagens, Bolsonaro viu o ministro receber a medalha da Ordem do Mérito Naval em Brasília. Os dois sentaram lado a lado durante a cerimônia, que teve a participação de outros 13 ministros como Paulo Guedes (Economia), Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Ernesto Araújo (Itamaraty).

Moro chegou ao Alvorada por volta das 9h15 em carro com vidros escuros sem falar com a imprensa. O ministro e o presidente ficaram a sós por menos de 30 minutos, pois, por volta das 9h50, embarcaram na lancha Amazônia da Marinha na marina privativa do Palácio da Alvorada. A embarcação seguiu para o Grupamento de Fuzileiros Navais, também situado às margens do Lago Paranoá.

Bolsonaro se manifestou brevemente sobre o caso e ressaltou apoio ao ex-juiz federal. "Nós confiamos irrestritamente no ministro Moro", disse o presidente. No começo da noite, o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, disse que "jamais foi tocado" no assunto de uma eventual renúncia ou demissão de Moro.

Alerj já homenageou Michelle Bolsonaro neste ano

A Alerj aprovou, em abril, a concessão da Medalha Tiradentes à primeira-dama Michelle Bolsonaro. Apenas oito deputados se opuseram à homenagem, na ocasião. Até hoje, a mulher de Jair Bolsonaro ainda não recebeu a medalha.

O pedido foi justificado pelo deputado Alexandre Knoploch (PSL) com o argumento de que Michelle "atua em causas sociais, sobretudo na comunidade surda".

O texto também ressalta que Michelle, que viveu nos últimos anos no Rio, "surpreendeu ao discursar em libras no parlatório, sendo a 1ª cônjuge de um presidente da República a discursar em uma posse presidencial".

Política