Topo

Lula fica em Curitiba e apoiadores comemoram 1ª vitória no STF desde prisão

STF mantém Lula em Curitiba e apoiadores dão recado ao ex-presidente

UOL Notícias

Vinicius Konchinski

Colaboração para o UOL, em Curitiba

07/08/2019 19h38

A suspensão da transferência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva da carceragem da PF (Polícia Federal) de Curitiba para o presídio de Tremembé, no interior de São Paulo, virou motivo de celebração para os militantes que o apoiam no Paraná. Embora os simpatizantes do petista vejam a vitória dele no STF (Supremo Tribunal Federal) como pequena, ela é a primeira obtida por sua defesa desde que Lula foi preso, em abril de 2018.

Os advogados do ex-presidente já tentaram libertá-lo diversas vezes. Em julho de 2018, o desembargador Rogério Favreto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, chegou a conceder um habeas corpus para o ex-presidente, motivando uma grande mobilização na Vigília Lula Livre, organizada em frente da PF.

O habeas corpus foi cassado horas depois. Dali em diante, nenhum julgamento relacionado ao ex-presidente tinha gerado comemoração entre os militantes que o acompanham. Até a decisão do STJ (Superior Tribunal de Justiça) que reduziu a pena de Lula no caso do tríplex no Guarujá, em abril deste ano, não tinha animado a militância.

Comemoração e provocações

Hoje, contudo, foi diferente. Em meio à crise causada pela divulgação dos diálogos de integrantes da operação Lava Jato, o STF derrubou a decisão da Justiça Federal do Paraná que havia determinado a transferência de Lula e deu início a uma comemoração.

Assim, que o STF finalizou seu julgamento, os cerca de 50 presentes da Vigília Lula Livre se reuniram para, em coro, gritar ao presidente Lula que ele ficaria em Curitiba. Gritos de provocação ao ministro da Justiça, Sergio Moro, e ao presidente Jair Bolsonaro, também foram proferidos. "Cadê o Queiroz?", diziam alguns militantes, lembrando as investigações sobre o filho mais velho de Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro.

Minutos depois da decisão, um dos advogados de Lula, Manoel Caetano, deixou a sede da PF. Caetano havia passado a tarde com o ex-presidente enquanto ele aguardava pela transferência que nunca ocorreu. O advogado disse que Lula recebeu com serenidade a decisão do STF.

"Ele estava indignado [com a transferência]. Recebeu a notícia do Supremo com serenidade", relatou Caetano a jornalistas. "Ele já disse várias vezes que acredita no Supremo."

Marco Aurélio Mello vota por manter transferência de Lula, mas critica STF

UOL Notícias

Mais Política