Topo

Após reportagem do UOL, PT diz que processará Bolsonaro por diálogo com PCC

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman, chamou de farsa gravações telefônicas feitas pela PF e divulgadas pela imprensa onde um suposto membro do PCC diz que a facção criminosa possuía bom diálogo com o PT - Roberto Casimiro/Fotoarena/Estadão Conteúdo
A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffman, chamou de farsa gravações telefônicas feitas pela PF e divulgadas pela imprensa onde um suposto membro do PCC diz que a facção criminosa possuía bom diálogo com o PT Imagem: Roberto Casimiro/Fotoarena/Estadão Conteúdo

Aiuri Rebello

Do UOL, em São Paulo

11/08/2019 20h02

O PT divulgou nota neste domingo (11) que o partido entrará com várias ações na Justiça a partir de segunda-feira (12) contra o que classificou de falsa acusação da "Polícia Federal de Sérgio Moro" e amplamente divulgada pelo presidente Jair Bolsonaro e seus seguidores nas redes sociais, de que a legenda teria ligações com a facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital).

"O que vimos essa semana foi mais uma armação grotesca das forças reacionárias para tentar criminalizar o PT", afirmou a deputada federal Gleisi Hoffman (PT-PR), presidente nacional do partido. "A notícia falsa, vazada pela Polícia Federal de Moro, foi cabalmente desmentida pelo promotor Lincoln Gakiya, que há mais de uma década investiga a facção criminosa", diz a líder petista na nota.

Na sexta-feira, após o vazamento da ligação do suposto membro do PCC falando das relações da facção criminosa com o PT, Gakia concedeu entrevista ao UOL onde afirma que não há indícios de ligação entre PT e PCC, como sugere a gravação feita pela PF e divulgada pela imprensa.

"Vamos enfrentar e denunciar essa farsa armada por Moro e Bolsonaro. Criminosos são os que nos acusam, e devem responder por suas ações", afirma a deputada.

Na nota o PT afirma que apresentará uma notícia-crime contra o ministro da Justiça no STF (Supremo Tribunal Federal) e os responsáveis pela investigação contra o PCC que teriam vazado as escutas. O PT pede o afastamento de Moro do governo.

O PT afirma que também vai cobrar na Justiça direito de resposta contra veículos de imprensa que divulgaram a gravação, para que noticiem a posição do promotor do MP-SP (Ministério Público de São Paulo), especializado na investigação da facção criminosa.

Na nota, o PT afirma também que irá processar o presidente por campanha eleitoral extemporânea e a deputada estadual Ana Campanolo (PSL-SC) por difamação.

Mais Política