PUBLICIDADE
Topo

Hasselmann critica Covas e diz: "Se Haddad for candidato, será excepcional"

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), em entrevista no estúdio do UOL/Folha, em Brasília, em dezembro - Kleyton Amorim/UOL
A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), em entrevista no estúdio do UOL/Folha, em Brasília, em dezembro Imagem: Kleyton Amorim/UOL

Colaboração para o UOL

07/02/2020 14h34

Confirmada como candidata do PSL à Prefeitura de São Paulo nas eleições de 2020, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) já pensa na disputa de outubro deste ano.Em entrevista hoje ao Programa Pânico, da Rádio Jovem Pan, ela analisou alguns de seus possíveis adversários. Entre eles, o atual prefeito, Bruno Covas (PSDB).

A deputada avaliou como negativa a gestão dele até o momento: "Fico constrangida em criticá-lo porque ele está doente. Mas acho que ele não gosta de ser prefeito. Não vejo aquela vontade de acordar às 5 da manhã, trabalhar 20 horas por dia. Não acho que ele tem aquela vontade de fazer e ver as coisas resolvidas, isso me incomoda um pouco e não acho que ele é um bom prefeito. Acho ele um bom rapaz, um bom ser humano, mas uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa", disparou.

Joice também revelou que gostaria de disputar a eleição contra Fernando Haddad, do PT. Isso porque a disputa permitiria um embate de ideias produtivo, segundo ela: "Se o Haddad for candidato, acho excepcional. Porque aí vamos poder, de fato, mostrar os dois lados da política".

Datena e Mamãe Falei

O jornalista José Luiz Datena foi outro citado por Joice como possível adversário. A deputada ainda duvida que o atual apresentador da TV Bandeirantes seja candidato e fez ressalvas sobre o possível partido a que ele deve se filiar, o MDB.

"Gosto do Datena, mas ele ensaia toda eleição e não vem se candidatar. Ele deve se filiar ao MDB e sair candidato ao Senado. Mas no MDB? Não dá. Desculpa. Se a discussão também é partidária, o MDB tem muitos problemas tanto quanto o PT. Não estou discutindo o Datena. Acho ele um cara correto, honesto, mas o partido pode ser complicado para ele por conta do histórico", avaliou.

Ela também analisou o deputado estadual, Arthur do Val (conhecido como "Mamãe Falei"), que atualmente está sem partido. De acordo com ela, Arthur não está preparado para assumir um desafio como ser o chefe do executivo da maior cidade do Brasil: "A candidatura é um direito dele. Nós conversamos, tenho respeito, ele é um bom menino. Mas é só um menino [...] Não adianta pensar que vai brincar de fazer uma livezinha e que vai administrar a cidade. Esquece. Tem que estudar muito", apontou

Política