PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro fala em usar hotéis para abrigar idosos na crise do coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro voltou a dizer que "o Brasil não pode parar" - Andressa Anholete/Getty Images
O presidente Jair Bolsonaro voltou a dizer que "o Brasil não pode parar" Imagem: Andressa Anholete/Getty Images

Colaboração para o UOL, em São Paulo

27/03/2020 16h28

O presidente Jair Bolsonaro falou que pensa em contratar hotéis para abrigar idosos ainda não contaminados durante a pandemia do novo coronavírus. Em entrevista por telefone ao programa Brasil Urgente, da Band, ele também mencionou a possibilidade de usar essa estratégia em casos de dúvida sobre o diagnóstico.

"A ideia nossa é começar a contratar os hotéis para possível acolhimento de pessoas idosas ainda não infectadas, e outros hotéis com pessoas talvez infectadas. A ideia é botar no isolamento as pessoas idosas que não possam fazer o isolamento familiar", disse Bolsonaro ao jornalista José Luiz Datena.

Em seguida, o presidente mais uma vez relativizou a crise do coronavírus citando outros problemas de saúde que levam pessoas a hospitais, além de mencionar a volta ao trabalho com a frase que virou mote no governo: "O Brasil não pode parar".

"O Brasil não pode parar só pensando no coronavírus, tem gente com câncer, com cálculo renal, mulheres que vão dar a luz. A saúde nossa ainda não é uma saúde nota 100, é um pouco abaixo disso. A situação complica, para uma coisa simples se demorar para atender lá na frente fica grave. Quem pode voltar a trabalhar, tem que voltar a trabalhar. Não estou falando agora, mas tem que voltar. O Brasil não pode parar", afirmou Bolsonaro, que novamente atacou governadores durante a comparação com outras doenças.

"Tem um estado aí que orientou via decreto que se não tiver causa específica da morte, tem que botar coronavírus. Quantas pessoas morreram de H1N1 ano passado? Em torno de 70 pessoas. Não é que eu queira, mas esse ano tem que ter alguém que morreu de H1N1 também. Não é tudo coronavírus", disse.

O presidente também voltou a negar que tenha problemas com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. Bolsonaro novamente atacou a mídia pela divulgação de notícias de bastidores do governo.

"Não tenho problema político com ninguém, não estou em campanha, nunca ataquei ninguém. A minha linha é a mesma desde o começo. Meu relacionamento com o Mandetta é excepcional. Tem um tal de mídiavírus que sempre solta uma notinha de que tem algum desentendimento entre mim e o ministro", afirmou.

Questionado por Datena se seria capaz de "dar um golpe e fechar o Brasil", Bolsonaro negou e atacou antecessores no governo. "Quem quer dar o golpe jamais vai falar que quer dar. Estou quase na metade do segundo ano de mandato aqui, não tomei nenhuma medida contra a imprensa brasileira, como o partido que tava lá atrás", disse.

Coronavírus