PUBLICIDADE
Topo

Sem Mandetta, Bolsonaro brinca com caneta e volta a se divertir no Alvorada

ADRIANO MACHADO
Imagem: ADRIANO MACHADO

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

17/04/2020 09h55

Um dia após demitir Luiz Henrique Mandetta (DEM), Jair Bolsonaro (sem partido) mudou o humor em relação aos últimos dias e voltou hoje a se divertir com apoiadores que costumam se aglomerar todas as manhãs para ver a saída do comboio presidencial no Palácio da Alvorada.

O mandatário chegou a mostrar uma caneta que trazia em seu bolso, uma referência simbólica à queda do agora ex-ministro da Saúde. Além disso, deu autógrafos e fez piada com o seu time de coração, o Palmeiras.

Em meio à crise instalada pela guerra fria com Mandetta e pelos efeitos da pandemia do coronavírus, Bolsonaro vinha se irritando com manifestações de apoiadores na portaria do Alvorada desde a semana passada.

Em resposta a um homem que lhe fizera um pedido desconexo, ele chegou a dizer que, daquele jeito, não pararia mais para conversar com os apoiadores. Ontem (16), em ato incomum para o presidente, passou direto pelo local, em alta velocidade, e decepcionou os fãs.

Desde que assumiu a cadeira presidencial, Bolsonaro tem se preocupado em fomentar a imagem de "homem do povo", como ele mesmo já se definiu algumas vezes, e o falatório na portaria da residência oficial do governo faz parte dessa estratégia.

Hoje, Bolsonaro iniciou o diálogo com os populares por iniciativa própria, já com uma piada que fazia menção ao Palmeiras. Um homem brincou dizendo que ele poderia ser "o técnico do seu time". O presidente sorriu e tirou uma caneta do bolso, exibindo-a.

O gesto remete às declarações do dia 5 de abril, quando Bolsonaro afirmou que "não tem medo de usar a caneta" e, na ocasião, fez uma clara ameaça de demissão a Mandetta. Os dois protagonizaram uma disputa pública devido a divergências na condução do combate ao alastramento do coronavírus.

"Não tenho medo de usar a caneta, nem pavor. E ela vai ser usada para o bem do Brasil. Não é para o meu bem. Nada pessoal meu", disse à época.

"[De] algumas pessoas do meu governo, algo subiu à cabeça deles. Estão se achando demais. Eram pessoas normais, mas, de repente, viraram estrelas, falam pelos cotovelos, tem provocações. A hora D não chegou ainda não. Vai chegar a hora deles, porque a minha caneta funciona."

Bolsonaro então autografou a camisa do homem e ouviu de um outro apoiador: "E a hashtag hoje é Mandetta fica em casa". O mandatário gostou da piada.

Coronavírus