PUBLICIDADE
Topo

Política

Ministro Toffoli diz que STF é a suprema corte que mais trabalha no mundo

Do UOL, em São Paulo

11/05/2020 23h17

Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Dias Toffoli afirmou na noite de hoje que o STF é a suprema corte que mais trabalha no mundo ao justificar gastos e rendimentos de juízes no Brasil, durante entrevista concedida ao "Roda Viva", da TV Cultura.

"Esse momento de exemplo é o que estamos fazendo, trabalhando, dando prioridade aos casos da covid-19. [O STF] é a suprema corte que mais trabalha no mundo, que mais decide no mundo. Desde 14 de março começamos a catalogar casos envolvendo a covid. Já são 1.800, com 1.600 decisões", disse ele.

"A suprema corte dos EUA, que tem uma remuneração anual maior que a do Brasil, ela julga por ano cem casos. A da Alemanha, cada turma, que lá chama Senado, julgam 80 casos cada uma. O Supremo trabalha e trabalha muito. Exemplo se dá trabalhando", garantiu, em seguida.

Em 2019, o salário dos ministros do STF subiu de R$ 33,7 mil para R$ 39,2 mil. O reajuste, de 16,3%, foi aprovado em sessão administrativa por 7 votos a 4.

O aumento foi depois confirmado pelo Congresso, ocasionando um efeito cascata na administração pública, uma vez que o salário dos ministros serve de teto para a remuneração de todos os servidores públicos.

Mesmo assim, Toffoli argumenta que o Supremo Tribunal Federal irá economizar 15% do orçamento em 2020.

"Esse ano nós estabelecemos um corte de 15% no orçamento do Supremo. Se pegarmos entre 2009 e colocar o orçamento que houve a 11 anos atrás e o que vamos executar, economizamos 34%, em valores reais, atualizado. O desse ano em relação ao ano passado 14% de economia. Estamos trabalhando para diminuir despesas e custos.

Trajetória

José Antonio Dias Toffoli foi o oitavo e último ministro nomeado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele chegou à corte em setembro de 2009, aos 41 anos, depois que uma vaga foi aberta com a morte do ministro Carlos Alberto Menezes Direito, vítima de um câncer. Na época, era o ministro mais jovem dos 11 que compunham o Supremo.

Bacharel em direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, Toffoli foi da AGU e subchefe de assuntos jurídicos da Casa Civil antes de chegar ao STF.

Ele assumiu a presidência do STF em 2018, no lugar da ministra Cármen Lúcia.

Política