PUBLICIDADE
Topo

Sobre pedidos de impeachment de Bolsonaro, Maia diz não querer "pôr lenha"

Do UOL, em São Paulo

01/06/2020 17h00Atualizada em 01/06/2020 18h28

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou na tarde de hoje que o assunto sobre o impeachment do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deve ser tratado com "cuidado" e que não deve se colocar mais lenha na fogueira. A declaração foi dada ao jornalista Tales Faria durante o UOL Entrevista.

A gente não pode colocar mais lenha na fogueira. Da mesma forma que eu acho que essas manifestações que atacam as instituições democráticas são gravíssimas, uma decisão de impeachment precisa ser muito bem avaliada para que a gente não gere mais conflitos e mais crise política no Brasil.

"Eu trato isso com o mesmo cuidado que eu tratei no governo do presidente Michel Temer. E eu faço da mesma forma agora, eu acho que no momento adequado vou decidir, e não vou ficar tratando desse processo que eu sou o juiz, eu defiro ou indefiro e não devo ficar dando muita opinião sobre esse assunto, sabendo que a nossa prioridade deve ser tentar unificar esse país para ter mais força e melhores condições para enfrentar esse vírus em todos os seus aspectos", completou.

O presidente Jair Bolsonaro já é alvo de quase 30 pedidos de impeachment protocolados na Câmara dos Deputados. A maioria deles referentes à participação do presidente em atos contra o Congresso, Senado e STF, falas relacionadas à pandemia do novo coronavírus e por conta das acusações feitas pelo ex-ministro Sergio Moro.

Um dos últimos pedidos foi enviado por deputados do PSB no qual listaram ao menos 11 supostos crimes de responsabilidade que teriam sido cometidos pelo presidente. Até o seu antigo partido, o PSL, já apresentou um pedido por meio da deputada Joice Hasselmann (PSL-SP).

Política