PUBLICIDADE
Topo

Dados vazados são usados para tentar filiar Carlos Bolsonaro ao PT

Carlos Bolsonaro discursando - Foto: Divulgação/CMRJ
Carlos Bolsonaro discursando Imagem: Foto: Divulgação/CMRJ

Do UOL, em São Paulo

02/06/2020 10h50Atualizada em 02/06/2020 12h30

O vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), teve pedida uma filiação ao PT depois de o grupo hacker Anonymous vazar dados pessoais do presidente, seus familiares, ministros e apoiadores do governo.

Em consulta no site de pedidos de filiação do PT, que é aberto publicamente, é possível ver o nome de Carlos Bolsonaro com um pendente. O partido, que faz oposição ao governo Bolsonaro, compartilhou uma notícia sobre esta tentativa no Twitter e comentou: "Indeferido".

Um perfil do Twitter afirmou que também inscreveu o nome de Jair Bolsonaro no site de filiação do PT, usando os dados vazados. Outro escreveu que o fez no PCO (Partido da Causa Operária).

Pedido de filiação no PT registrado no nome de Carlos Bolsonaro - Reprodução/PT - Reprodução/PT
Imagem: Reprodução/PT

Entenda o vazamento

Contas no Twitter supostamente pertencentes ao grupo hacker Anonymous Brasil publicaram ontem dados pessoais do presidente da República, Jair Bolsonaro, familiares, ministros e aliados do governo federal.

Os filhos do chefe do Executivo Carlos, Eduardo e Flávio, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, e o ministro da Educação, Abraham Weintraub, tiveram seus dados divulgados pelo grupo. Além deles, o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP) foi atingido.

O Anonymous foi criado em 2003. O grupo atua em outros países e ressurgiu no último domingo, após desdobramentos do caso de George Floyd, homem negro assassinado durante uma abordagem policial nos Estados Unidos. Em vídeo, a organização ameaça expor "muitos crimes" cometidos pela polícia em todo o mundo.

Quem teve dados expostos:

  • Jair Bolsonaro (sem partido), presidente da República
  • Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), vereador
  • Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), deputado federal
  • Flávio Bolsonaro (Republicanos), senador
  • Abraham Weintraub, ministro da educação
  • Damares Alves, ministra da mulher, família e direitos humanos
  • Douglas Garcia (PSL-SP), deputado estadual

Quais dados foram expostos:

Informações como e-mails, telefones, endereços, perfil de crédito, renda, nomes de familiares e bens declarados.

Política