PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
8 meses

Ministério das Comunicações terá EBC, Correios, Anatel e leilão de 5G

O ministro da Ciência e Tecnologia, astronauta Marcos Pontes, em entrevista exclusiva ao UOL e à Folha, em Brasília - Kleyton Amorim/UOL
O ministro da Ciência e Tecnologia, astronauta Marcos Pontes, em entrevista exclusiva ao UOL e à Folha, em Brasília Imagem: Kleyton Amorim/UOL

Guilherme Mazieiro

Do UOL, em Brasília

11/06/2020 19h54

O novo Ministério das Comunicações, recriado ontem por Jair Bolsonaro (sem partido), terá comando da Anatel e das estatais Correios, EBC (Empresa Brasil de Comunicação) e Telebras (Telecomunicações Brasileiras).

A pasta ficará a cargo do novo titular, Fábio Faria (PSD-RN), que será responsável pelo leilão de 5G. Ele tomará posse na próxima segunda-feira (15).

As informações sobre a nova estrutura foram passadas hoje por Marcos Pontes, ministro de Ciência, Tecnologia e Inovações, onde estava a área de comunicação. Ele ressaltou que o novo ministro, Fábio Faria, terá comando sobre assuntos de comunicação (regulamentações, concessão de rádio e tv, e leilão de 5G), e da comunicação social (mídias do governo, propaganda, por exemplo), que era feita pela Secom (Secretaria de Comunicação Social), vinculada à Secretaria de Governo da Presidência.

"Eu recebi a notícia ontem, a respeito disso. As pessoas perguntam como você recebeu isso? Muito tranquilo, isso é uma prerrogativa do presidente Bolsonaro. Nós estamos aqui por causa do governo", disse Pontes.

O ministro afirmou que estão alinhados e ajudará Faria na transição nas próximas semanas. Em uma apresentação de 40 minutos, Pontes defendeu o trabalho que fez frente aos órgãos que saíram de seu comando.

Um dos temas fortes da pasta é o 5G. No ano passado foi publicada uma portaria com as políticas públicas para o sistema. Em janeiro, ao UOL, Pontes disse que a previsão era fazer o leilão até o final deste ano.

Essa tecnologia é de interesse para o país e tem reflexos na política externa, isso porque há pressões de Estados Unidos e China, interessados nos projetos.

"A realização do leilão de 5G. Isso vai ser uma entrega magnífica, muito importante para o próximo ministro fazer", disse hoje.

Gilberto Kassab, presidente do partido do novo ministro, é simpático ao tema de regulamentações e tecnologia 5G. Ele é ex-ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações na gestão do presidente Michel Temer (MDB).

Um de seus aliados, Júlio Semeghini, é o número 2 da pasta de Marcos Pontes desde o início da gestão Bolsonaro.

O nomeado, Fabio Faria, é visto por Bolsonaro como mais uma ponte do governo com o Congresso e a mídia tradicional. Ele é deputado eleito pelo PSD e casado com a filha do comunicador e empresário Silvio Santos.

Bolsonaro justificou a nomeação de Fábio Farias como ministro das Comunicações, durante transmissão de live realizada nas redes sociais.

"O Farias foi nomeado e pode optar receber salário como deputado ou abrir mão como ministro. Não tem aumento de custo nenhum. A Secom vai para lá, EBC [Empresa Brasil de Comunicação] vai para lá. Vamos tentar melhorar a comunicação do governo", justificou Bolsonaro.

"Temos pela frente a questão do 5G, houve orientação minha, antes que falem interferência, como proceder nessa questão. Faremos o melhor negócio levando em conta vários aspectos, não só o econômico. Às vezes, o mais barato não quer dizer que seja o melhor. Vamos atender os requisitos da segurança de dados, a política externa entra nesta questão também", completou.

Política