PUBLICIDADE
Topo

Política

Esse conteúdo é antigo

Em tom de despedida do governo, Weintraub agradece a apoiadores no Twitter

7.mai.2020 - O ministro da Educação, Abraham Weintraub, durante audiência pública na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado - Marcelo Camargo/Agência Brasil
7.mai.2020 - O ministro da Educação, Abraham Weintraub, durante audiência pública na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Do UOL, em São Paulo

17/06/2020 22h45

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, agradeceu aos apoiadores no Twitter hoje à noite, num tom de despedida do governo federal. Segundo a Folha, a expectativa é que o aliado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deixe o cargo amanhã.

Weintraub respondeu no Twitter alguns seguidores, caso do deputado federal Carlos Jordy (PSL-RJ), que escreveu: "Só tenho uma certeza: se sair, fará uma grande falta e saíra como um homem, não como um traidor."

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) também escreveu uma mensagem ao amigo: "Me faltam palavras...... 'Combateu o bom combate, guardou a fé. A coroa da justiça lhe está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, lhe dará naquele Dia'. Siga de cabeça erguida, como o grande homem que é."

A uma seguidora que o questionou se sairá do Twitter após deixar o governo, o ministro respondeu: "Não pretendo".

Quem também deixou um recado para Weintraub foi Jouberth Souza, que conta com mais de 100 mil seguidores na rede social. "Força, conte comigo sempre! Deus continue abençoando sua vida. Te desejo muito Sucesso na sua nova carreira. Abraço, amigo!".

Para outra seguidora, que o convidou para tomar um café, ele agradeceu o carinho e disse que o "café terá que esperar um pouquinho".

A Folha afirmou que entre os cotados para ocupar o cargo de titular da pasta estão o secretário de Alfabetização do MEC, Carlos Nadalim, indicado pelo escritor Olavo de Carvalho ao governo e um dos principais bolsonaristas da ala ideológica.

Outro nome forte é o presidente da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), Benedito Aguiar, que tem a simpatia da bancada evangélica e proximidade com o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes, que lecionou no Mackenzie quando Aguiar era reitor da universidade.

Porém, enquanto o Executivo pensa em um nome viável para substituí-lo à frente do Ministério da Educação, senadores e deputados, em especial do centrão, permanecem em compasso de espera pela saída do ministro.

Hoje, o STF rejeitou o habeas corpus protocolado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Mendonça, em favor de Weintraub, e de todas as pessoas que foram alvo de diligências no inquérito das fake news, que tramita na Corte. Ele é também é investigado por suposta mensagem racista contra chineses.

Política