PUBLICIDADE
Topo

Mário Frias falta em reunião e faz deputados esperarem por uma hora e meia

O novo secretário especial de Cultura, Mário Frias - Reprodução/Instagram
O novo secretário especial de Cultura, Mário Frias Imagem: Reprodução/Instagram

Mariana Gonzalez

Do UOL, em São Paulo

30/06/2020 17h02

O novo secretário especial de Cultura, Mário Frias, deixou um grupo de parlamentares esperando sua presença em uma reunião com a Comissão de Cultura da Câmara, marcada para a manhã de hoje.

A reunião estava marcada para as 10h, de forma virtual, e serviria para que o novo secretário discutisse suas propostas para a pasta. Os parlamentares, no entanto, esperaram uma hora e meia.

Segundo o gabinete da deputada Áurea Carolina (PSOL-MG), vice-presidente da Comissão, Frias "deixou todo mundo esperando" e não justificou a ausência.

O UOL apurou que estavam presentes os deputados Alexandre Frota (PSDB-SP), Benedita da Silva (PT-RJ), Jandira Feghali (PCdoB-RJ), Alice Portugal (PCdoB-BA), Lídice da Mata (PSB-BA), Alessandro Molon (PSB-RJ), Bira do Pindaré (PSB-MA), Nereu Crispim (PSL-RS) e Marcelo Calero (Cidadania-RJ).

Alexandre Frota publicou no Twitter uma captura de tela mostrando que o secretário teria confirmado na última quinta-feira (25) sua presença na reunião. "Fala irmão, combinado", teria escrito Mário Frias.

"O incrível o secretário de Cultura foi convidado pela Câmara dos Deputados para participar da reunião remota de Cultura, autorizada pelo [presidente] Rodrigo Maia. O secretário confirmou e sumiu", escreveu Frota.

Procurado, o Ministério do Turismo, ao qual a Secretaria Especial da Cultura está submetida, disse que "o deputado federal Alexandre Frota foi notificado ontem da impossibilidade de comparecimento do secretário Mário Frias em virtude da incompatibilidade de agenda."

Expectativas

Frias foi empossado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), na semana passada. Ele substituiu Regina Duarte, que ocupou o cargo por dois meses.

Áurea Carolina, no entanto, diz que as expectativas da Comissão de Cultura em relação à gestão do novo secretário são "as piores possíveis".

"Ele dará continuidade à política desastrosa, regressiva e destrutiva que Bolsonaro tem destinado ao setor cultural", afirma. "O próprio Mário Frias chega demonstrando muito desrespeito em relação ao setor, aos artistas, e um desconhecimento sobre as políticas culturais. Não há que se esperar nenhum avanço, lamentavelmente."

O ator é o quinto nome a comandar a Cultura no atual governo. Antes dele e de Regina Duarte, passaram pela área Henrique Pires, Ricardo Braga e Roberto Alvim, este exonerado após referências nazistas em um discurso.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado no 7º parágrafo deste texto, a secretaria em questão é a Secretaria Especial da Cultura, e não de Saúde. A informação foi corrigida.

Política