PUBLICIDADE
Topo

Política

Bolsonaro ressalta 'liberdade' em solenidade na Aman, em Resende

Luciana Amaral

Do UOL, em Brasília

17/10/2020 12h44

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ressaltou hoje a liberdade como o "bem maior de uma nação" e voltou a dizer, sem provas, que o Brasil estava a caminho de perder sua liberdade, em referência indireta a governos anteriores.

"Vocês [cadetes] têm tudo para, amanhã, serem chefes dessa nação, assim como hoje eu sou. [...] Há quatro anos, na região da ponte do rio Alambari, fiz um compromisso comigo mesmo perante jovens que se formavam naquele final dos idos 2014. Tínhamos que mudar o destino do Brasil, estávamos indo para perder nossa liberdade", falou.

Bolsonaro participou hoje pela manhã de solenidade de entrega de espadins a mais de 400 cadetes, entre homens e mulheres, na Aman (Academia Militar das Agulhas Negras), em Resende, no Rio de Janeiro. Ele estava acompanhado do vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) e de ministros militares, como Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), Braga Netto (Casa Civil) e Fernando Azevedo (Defesa).

No discurso, o presidente criticou indiretamente a Venezuela ao dizer as Forças Armadas de um "país mais ao norte" do Brasil optaram por "outro caminho" e, assim, a população perdeu sua liberdade. O país vizinho tem como governante o ditador Nicolás Maduro desde 2013, sucessor de Hugo Chávez, e sofre com graves problemas socioeconômicos.

Bolsonaro ainda disse que, "mais ao sul" do Brasil, "outro país parece querer se enveredar pelo mesmo caminho". Nos últimos meses, o presidente tem feito críticas ao presidente da Argentina, Alberto Fernández, eleito no final do ano passado e de espectro político mais à esquerda do que Mauricio Macri - quem Bolsonaro defendia que fosse reeleito.

Pelas imagens televisionadas, em momento algum Bolsonaro usou máscara de proteção facial. O uso do objeto é recomendado por especialistas para se evitar a propagação do coronavírus. Ele desceu ao pátio da Aman para cumprimentos e fotos com cadetes.

O presidente disse pedir a Deus para estar na Aman em 2023 "para participar de uma cerimônia bem maior" com os cadetes que receberam os espadins hoje, ao se formarem. Em 2023, o atual mandato de Bolsonaro terá se encerrado, mas ele tem planos de tentar se reeleger.

Mais cedo, Bolsonaro parou na beira da rodovia Dutra para acenar a motoristas e caminhoneiros que passavam pela estrada. A expectativa é que ele retorne a Brasília hoje à tarde, segundo a Presidência da República.

Política