PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
10 meses

Após boatos, empresa nega que recebeu R$ 162 por leite condensado da União

Do UOL, em São Paulo

27/01/2021 14h26

Após boatos divulgados nas redes sociais de que recebeu R$ 162 por lata de leite condensado fornecido ao governo federal, a empresa Saúde Vida Alimentos Eireli negou a informação. Segundo a companhia, o contrato foi fechado com o Ministério da Defesa para o fornecimento de duas caixas, com 27 unidades de leite condensado cada, no valor de R$ 162 por caixa, o que dá R$ 6 por unidade.

A informação que o governo federal teria gasto R$ 162 por lata de leite condensado foi divulgada nas redes sociais. Posteriormente, houve uma mudança nos posts, citando que o valor foi de R$ 7 e chegou a ser compartilhado pela deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ), que questionou os gastos alimentícios do governo federal.

Em relação à compra do leite condensado, ela escreveu nas redes sociais: "Cadê o menor preço do mercado? Quase 7 reais?"

Ontem, o jornal Metrópoles mostrou que o governo federal gastou R$ 15 milhões com leite condensado. As informações são do Portal da Transparência. Em 2020, os gastos alimentícios do governo federal somaram mais de R$ 1,8 bilhão.

A Saúde Vida Alimentos Eireli disse que recebeu apenas R$ 324 pelas duas caixas de leite condensado. "Em tempo, a empresa nunca fechou qualquer contrato no valor de 15 milhões (de reais) para o fornecimento de leite condensado, para qualquer órgão do governo, tampouco fechou qualquer contrato no valor de 12 milhões (de reais) como chegou a ser divulgado por alguns veículos de comunicação".

O contrato com o Ministério foi fechado por dispensa de licitação "em razão do valor ser abaixo de R$ 8.000", diz a fornecedora.

O levantamento do Metrópoles também mostrou que a União pagou, em 2020, outros R$ 2,2 milhões em chicletes e R$ 32,7 milhões em pizza e refrigerante. O total gasto em alimentos em 2020 é 20% maior que em 2019.

Leite condensado para militares

Mais cedo, o deputado federal e filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Eduardo Bolsonaro, defendeu os gastos do governo federal com alimentos, mas citou somente o leite condensado, que virou tema de memes desde ontem.

Segundo ele, o produto "foi escolhido por ter virado de certa maneira uma marca do Presidente, presente até em seu café da manhã com John Bolton em sua residência no Rio durante a transição em 2018".

O deputado afirmou também que a maior parte da compra de leite condensado foi endereçada ao Ministério da Defesa, e que o produto é "indicado a quem faz muitas atividades físicas e serve de base para a elaboração de vários outros alimentos comuns a mesa dos brasileiros como bolos".

Política