PUBLICIDADE
Topo

Política

Esse conteúdo é antigo

Empresário, 1º suplente de Olimpio se envolveu em polêmica com Itaipu

Guilherme Mazieiro

Do UOL, em Brasília

18/03/2021 16h50

Com a morte do senador Major Olimpio (PSL-SP), hoje, por complicações do covid-19, o primeiro suplente que deve assumir sua vaga é o empresário Alexandre Luiz Giordano (PSL-SP), 48.

Em 2019, o empresário foi citado em uma polêmica que envolveu os governos brasileiro e paraguaio. Segundo o jornal ABC Color, do Paraguai, Giordano viajou duas vezes àquele país para tratar de compra de energia excedente da usina hidrelétrica de Itaipu e teria usado o nome do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas negociações.

As tratativas nebulosas que envolviam os governos do Brasil e Paraguai abriu uma crise política no país vizinho e quase derrubaram o presidente Mario Abdo Benítez.

Empresário, o suplente de Olimpio atua em diferentes ramos, como instalações metálicas e imóveis.

Em 2018, Giordano declarou à Justiça Eleitoral possuir R$ 1,5 milhão em bens. O valor corrigido pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) é de cerca de R$ 1,7 milhão.

O segundo suplente é o ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes. A assessoria do ministro informou que "o ministro está em voo retornando da Coreia do Sul, ainda não sabe [da morte do Olimpio]".

O UOL ainda não conseguiu contato com Giordano.

Política