PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

Senador quer que Braga Netto esclareça mudanças nas Forças Armadas

Senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) cobra transparência do ministro da Defesa - Waldemir Barreto/Agência Senado
Senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) cobra transparência do ministro da Defesa Imagem: Waldemir Barreto/Agência Senado

Colaboração para o UOL, em São Paulo

31/03/2021 10h18Atualizada em 31/03/2021 19h55

Após a saída dos três comandantes das Forças Armadas, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) disse ter feito um convite ao general Braga Netto, novo ministro da Defesa, para que ele preste esclarecimentos sobre as mudanças e mostre transparência ao Congresso.

"Fiz o convite para o general Braga Netto para ele esclarecer essas mudanças inéditas executadas no comando das Forças Armadas brasileiras. Nós queremos ouvi-lo para que ele demonstre respeito à Constituição. Ele tem que falar com a sociedade, mas isso ainda não foi feito. Nesse momento é muito importante que todos sejam transparentes para entendermos o que realmente está acontecendo. Nós ficamos reféns de diversas interpretações da imprensa, de redes sociais, teorias da conspiração... Isso tudo coloca o Brasil, que já enfrenta o pior momento da pandemia e uma crise econômica, em uma crise política. Nós precisamos é de paz e de vacina nesse momento", disse o senador em entrevista à GloboNews.

Segundo Vieira, o motivo do convite para a conversa se deve ao fato de entender que o general não se explicou de forma espontânea.

"O que nós queremos ouvir dele é que todo bom soldado precisa ter: respeito à Constituição. Publicidade e transparência em uma gestão pública não é uma escolha, é uma obrigação legal. Como ele não fez isso de forma espontânea, é preciso que o Senado exerça seu papel e cobre isso dele", declarou.

Ainda na entrevista, o político também pontuou críticas sobre a postura do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco.

"Nós, senadores, analisamos a forma de atuação do Rodrigo Pacheco. Ele tem aquele jeito mineiro, cauteloso, e merece todo respeito pelos méritos que tem. Mas faço uma ressalva: Jair Bolsonaro não é mineiro, nem todos são mineiros, e essa 'mineirice' precisa ter limites. Transparência é uma coisa urgente. Não podemos passar o fim de semana na dúvida se temos uma tentativa de golpe ou se é apenas um ajuste de tropas", disse Alessandro Vieira.

"Nós parlamentares queremos ouvir explicações do ministro para tudo ficar mais claro. Rodrigo tem se mostrado equilibrado e ele é preparado, mas a escolha que ele faz para ser moderado chega a ser excessivo e as vezes passa do ponto. Tem que ter cuidado, para não deixar de ser um negociador, pacificador, e passar a ser cúmplice de chacina, de interesses golpistas... Mas nós confiamos que ele vai honrar os votos que recebeu", finalizou.

Política