PUBLICIDADE
Topo

Política

Centrão quer indicar Alex Canziani para Secretaria Executiva do MEC

Lucas Valença

Colaboração para o UOL, em Brasília

20/04/2021 14h56Atualizada em 20/04/2021 17h36

O Centrão, grupo de apoio do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do governo federal, tenta emplacar o ex-deputado Alex Canziani (sem partido-PR) na Secretaria Executiva do MEC (Ministério da Educação).

Para fortalecer a indicação, Lira tem conversado com senadores do Partido Progressistas ainda não contemplados no governo para que a "sugestão" ao Palácio do Planalto seja reforçada.

Alex Canziani, que já chegou a presidir a Frente Parlamentar Mista da Educação (onde mantém "bom trânsito"), assumiria no lugar de Victor Godoy Veiga, atual ocupante do cargo no MEC. Procurado pelo UOL, o Ministério da Educação informou que não irá se manifestar.

Além de ter um diálogo aberto com membros da bancada da educação no Congresso, o político possui, segundo ex-colegas, um "perfil conciliador", o que o ajudaria na pasta.

Trocas no ministério

A ideia de sugerir o paranaense à secretaria mais importante decorre do entendimento de que dificilmente o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) trocará o comando do MEC mais uma vez em sua gestão.

A Secretaria de Educação Básica, atualmente gerida por Mauro Luiz Rabelo, que assumiu o lugar de Izabel Lima Pessoa, após a servidora pedir exoneração, no final de março, também chegou a ser cogitada, mas logo foi descartada.

Há quem diga que Canziani teria "uma estatura muito grande" para aceitar uma função que não fosse a de "número 2" do ministério.

O nome também agrada Arthur Lira, que ainda agradece o apoio da filha do político, a deputada Luísa Canziani (PTB-PR), à sua candidatura à presidência da Câmara. A jovem parlamentar foi uma das poucas deputadas ligadas à bancada da educação a fazer campanha pelo atual presidente da Casa.

Arthur Lira também já chegou a abordar alguns senadores do PP que não estão satisfeitos com o Executivo para tentar unir forças para enviar, em bloco, os próximos nomes a serem indicados a cargos no Executivo, o que incluiria Alex Canziani.

O problema é que a sugestão ao governo ainda não foi acertada com o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos), filho do presidente, que tem procurado concentrar em si as negociações com o Centrão.

Vale lembrar que, em julho do ano passado, o nome de Alex Canziani chegou a ser indicado por parlamentares do Centrão para assumir como o quarto ministro da Educação sob a gestão de Bolsonaro, o que não ocorreu.

O ex-deputado Alex Canziani foi procurado, mas decidiu não comentar o assunto. A pessoas próximas, disse que fica "muito feliz" com a sondagem de colegas.

Política