PUBLICIDADE
Topo

Política

Esse conteúdo é antigo

Postura de Bolsonaro é inadmissível, diz repórter chamada de 'idiota'

A jornalista Driele Veiga durante a cobertura da visita de Bolsonaro à Bahia, nesta segunda-feira (26) - Reprodução/ TV Aratu
A jornalista Driele Veiga durante a cobertura da visita de Bolsonaro à Bahia, nesta segunda-feira (26) Imagem: Reprodução/ TV Aratu

Letícia Simionato

Colaboração para o UOL

26/04/2021 21h44Atualizada em 27/04/2021 09h37

A repórter Driele Veiga acredita que a postura do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) com os profissionais da imprensa é inadmissível. A jornalista da TV Aratu - emissora afiliada ao SBT na Bahia- foi chamada de "idiota" por Bolsonaro durante uma coletiva improvisada, na tarde desta segunda-feira (26), na cidade baiana de Feira de Santana. O ataque veio após ela questioná-lo sobre uma foto dele segurando um cartaz com a réplica aumentada de um CPF com a tarja de "cancelado".

Essa postura é inadmissível para um presidente, a gente espera isso de qualquer outro entrevistado, menos de um presidente da república. Mas, como é um cenário que se repete, não me abalou tanto, já é uma atitude que se espera dele. Hoje, aconteceu comigo, mas poderia ter acontecido com qualquer outro jornalista
Driele Veiga, em entrevista ao UOL

Mesmo após ter sido insultada, Driele ainda fez mais algumas perguntas ao presidente. "Eu sou resiliente e não me abalo com essas coisas. Sou mulher e vivo numa sociedade patriarcal, homens acham que podem nos tratar dessa forma. Além disso, o xingamento do presidente chega a ser elogio diante de tanta coisa que estamos passando com a forma que ele está governando na pandemia", comentou.

O presidente esteve em Feira de Santana para entregar um trecho de 22 km de duplicação de uma rodovia federal, a BR 101, que liga a Bahia a Sergipe. Foi durante uma entrevista coletiva mal organizada, com aglomeração, que Bolsonaro insultou Driele. A repórter postou no Instagram o vídeo do momento.

"O senhor foi criticado, presidente, sobre uma foto postada dizendo CPF cancelado em um momento de tantas pessoas morrendo. O que o senhor tem a dizer a respeito? ", pergunta Driele. Bolsonaro responde: "Você não tem o que perguntar não? Deixa de ser idiota, pô".

"A minha pergunta foi simples, ele poderia ter se defendido, mas preferiu insultar", comenta Driele, que recebeu apoio de políticos como o presidente nacional do Democratas, ACM Neto, o senador Jaques Wagner (PT) e o governador da Bahia, Rui Costa (PT).

O SinjorBA (Sindicato dos Jornalistas da Bahia) também condenou o ato do presidente. "O xingamento, na opinião do presidente da entidade, Moacy Neves, revela o traço imaturo e autoritário de Bolsonaro, que não consegue conviver com a crítica, com o contraditório, com a diferença e nem com a obrigação de conceder entrevistas e responder às perguntas dos jornalistas, principalmente se do outro lado estiver uma mulher", disse a entidade em nota.

'CPF cancelado'

O cancelamento de CPFs ocorre quando as pessoas morrem. A expressão "CPF cancelado" é uma gíria comumente utilizada para se referir a pessoas mortas em confronto com policiais.

Política