PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Rui Costa toma vacina contra covid e faz campanha por aprovação da Sputnik

13.jan.2021 - O governador da Bahia, Rui Costa (PT), em foto compartilhada nas redes sociais - Reprodução/Facebook
13.jan.2021 - O governador da Bahia, Rui Costa (PT), em foto compartilhada nas redes sociais Imagem: Reprodução/Facebook

Colaboração para o UOL

07/05/2021 17h48Atualizada em 07/05/2021 17h59

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), tomou hoje a primeira dose da vacina contra a covid-19. Em vídeo publicado em seu Twitter, ele diz que continuará trabalhando para proporcionar a imunização a todas as pessoas. Recentemente, Costa criticou a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) por ter recusado a compra da Sputnik V pelo Brasil.

"Emoção e esperança! Pessoas com comorbidades como eu, que tenho Hipertensão Arterial Resistente, começaram a ser vacinadas. Hoje chegou meu dia. Quero ver todos os brasileiros vacinados. Que em breve possamos contar também com a Sputnik V. Quanto mais vacina, melhor. Viva o SUS!", escreveu Costa no Twitter.

No último domingo (2), o Governo do Estado da Bahia autorizou que pessoas com comorbidades ou deficiências permanentes fossem priorizadas na fila para a vacina.

Compra da Sputnik V pelo estado da Bahia

Logo após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sancionar a lei que autoriza estados, municípios e o setor privado a comprarem vacinas contra a covid-19 com registro ou autorização temporária de uso no Brasil, em março, Costa disse cobrar agilidade por parte da PGE (Procuradoria-Geral do Estado) para fechar contrato com o Fundo Soberano Russo para a aquisição da vacina Sputnik V.

A Anvisa, no entanto, não autorizou a compra da vacina russa, alegando falta de documentação e possíveis riscos do imunizante à saúde. Na última terça-feira (4), Costa disse que aguarda a boa vontade da agência e argumentou que a Sputnik V já está sendo utilizada em 64 países sem maiores efeitos colaterais.

Segundo Costa, o estado da Bahia já assinou acordo de cooperação para o fornecimento de até 50 milhões de doses da vacina russa.

Política