PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

Morre Jaime Lerner, ex-governador do Paraná, aos 83 anos

Fábio Castanho e Lorena Pelanda*

Do UOL, em São Paulo, e em colaboração para o UOL, em Curitiba

27/05/2021 07h58Atualizada em 27/05/2021 14h23

O arquiteto e urbanista Jaime Lerner, ex-governador do Paraná e ex-prefeito de Curitiba, morreu na manhã de hoje de complicações renais aos 83 anos. A notícia foi confirmada pelo Hospital Universitário Evangélico Mackenzie de Curitiba ao UOL.

Lerner estava internado desde a semana passada com um quadro de febre. Segundo o boletim do hospital, ele morreu às 5h10 (de Brasília) em decorrência de uma doença renal crônica.

O corpo do ex-governador foi velado hoje na Capela Mortuária do Cemitério Israelita Água Verde. O enterro está previsto para as 15h, no cemitério Santa Cândida, em Curitiba.

Jaime Lerner foi velado no Cemitério Israelita do Água Verde, na cidade de Curitiba - FRANKLIN DE FREITAS/ESTADÃO CONTEÚDO - FRANKLIN DE FREITAS/ESTADÃO CONTEÚDO
Jaime Lerner foi velado no Cemitério Israelita do Água Verde, na cidade de Curitiba
Imagem: FRANKLIN DE FREITAS/ESTADÃO CONTEÚDO

Jaime Lerner foi governador do Paraná de 1995 a 2002, e prefeito de Curitiba por três vezes, com mandatos iniciados em 1971, 1979 e 1989. Ele estava afastado da política paranaense desde 2003, quando deixou o cargo no Palácio Iguaçu, sede do Governo do Estado.

Nascido em Curitiba, Lerner se formou em arquitetura e urbanismo pela Escola de Arquitetura da Universidade Federal do Paraná, em 1964. O ex-governador do Paraná ficou conhecido internacionalmente por implementar na capital do estado o sistema de transporte coletivo urbano com canaletas exclusivas para os ônibus expressos e também pelo sistema de integração nos terminais de transporte público da cidade.

Lerner era viúvo desde 2009. Ele era casado com Fani Lerner, que na década de 70 se tornou uma das mais novas primeiras-damas do Brasil, com 24 anos. O casal teve duas filhas.

Em março deste ano, Jaime Lerner foi diagnosticado com covid-19. Na ocasião, ele apresentou somente sintomas leves da doença.

Jaime Lerner em foto de 2016; velório será realizado hoje em Curitiba  - FELIPE RAU/ESTADÃO CONTEÚDO - FELIPE RAU/ESTADÃO CONTEÚDO
Jaime Lerner em foto de 2016; velório será realizado hoje em Curitiba
Imagem: FELIPE RAU/ESTADÃO CONTEÚDO

Transporte coletivo de Curitiba virou referência internacional

Lerner se formou em 1964 na Escola de Arquitetura da Universidade Federal do Paraná. No ano seguinte, participou da criação do IPPUC (Instituto de Planejamento Urbano de Curitiba), responsável pelo Plano Diretor de Curitiba.

Ele era filiado à Arena e foi nomeado prefeito da capital paranaense pelos militares em 1971 e em 1979. Lerner voltou à prefeitura em 1989, desta vez eleito, pelo PDT, partido ao qual era filiado desde 1983.

Depois, foi governador do Paraná por duas gestões, a partir de 1995. Em 1997, ele deixou o PDT e se filiou ao antigo PFL, atual DEM.

Lerner ganhou notoriedade internacional por seu projeto de planejamento urbano e da transformação do transporte público da capital paranaense. De acordo com o arquiteto, o sistema de transporte de Curitiba foi replicado em aproximadamente 250 cidades do mundo inteiro.

Durante a sua carreira, uma das convicções mais controversas é de que sempre foi contra o sistema de metrô, por causa do alto custo. Para ele, as canaletas exclusivas para o transporte coletivo, embarque rápido e intervalos curtos entre os veículos, como foram feitos em Curitiba, são soluções para cidades de qualquer porte.

Desde que deixou a política, em 2003, ele comandava uma empresa que já desenvolveu planos e projetos para cidades brasileiras como São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Salvador e também para o Panamá, México e Angola.

Lerner foi consultor em assuntos urbanos para as Nações Unidas. Em também foi premiado no Concurso Nacional de Projetos pelo edifício-sede da Polícia Federal, em Brasília, e em 2007 recebeu da XI Bienal Internacional de Arquitetura de Buenos Aires o prêmio conjunto pela urbanização Pedra Branca.

Em 2018, o curitibano também foi eleito o segundo urbanista mais influente do mundo nos últimos tempos, de acordo com a revista norte-americana de planejamento urbano Planetizen.

Jaime Lerner em foto de 2005; referência internacional em urbanismo - HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO CONTEÚDO - HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO CONTEÚDO
Jaime Lerner em foto de 2005; referência internacional em urbanismo
Imagem: HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO CONTEÚDO

Governo Lerner

O escândalo financeiro do Banco do Estado do Paraná, o Banestado, foi uma das principais polêmicas do então governador Jaime Lerner.

Em 2000, o banco foi vendido ao Itaú via Leilão, pelo valor de R$ 1,6 bilhão. A privatização foi uma reação de Lerner à ameaça de intervenção do Banco Central, do governo de Fernando Henrique Cardoso.

Dois anos depois, o Itaú fechou várias agências consideradas deficitárias do Banestado e chegou a demitir, em média, 10 a 15 funcionários por dia.

Três anos antes da venda, Lerner emprestou R$ 5,6 bilhões da União para evitar a falência da instituição.

A dívida permanece até hoje e o valor de amortização, juros e da dívida ainda deve ser pago pelo governo paranaense até 2048.

Repercussão

O governador do Paraná, Ratinho Junior (PSD-PR), manifestou pesar pela morte e decretou luto oficial de três dias.

Nossas condolências à família e amigos do ex-governador Jaime Lerner. O Paraná perde um grande cidadão, que ajudou a transformar Curitiba e o Estado. Os nossos corações, marca que por muito tempo ele usou, estão juntos neste momento de profunda dor e tristeza para todo o povo do Paraná.
Ratinho Junior

"Jaime Lerner tinha amor pelo Paraná. Dedicou uma vida inteira ao Estado, com realizações que transformaram Curitiba e servem até hoje de inspiração mundo afora. Um exemplo que ficará marcado eternamente pelas centenas de obras espalhadas pelo nosso Estado", completou.

Edson Fachin, ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), também se manifestou por meio de um comunicado. "O Paraná e o Brasil perdem uma de suas melhores inteligências. Jaime Lerner traduziu em sua vida uma respeitável carreira acadêmica, profissional, e de vida pública desvelada ao sentido permanente da existência. Fica a memória de quem com sensibilidade compreendeu o efêmero e com serenidade se inscreveu na história", disse.

Em nota, o CAU/BR (Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil) também lamentou a morte.

Políticos e personalidades públicas do Paraná, como o ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sergio Moro, também se pronunciaram. Veja

*Com informações da Agência Estado

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do informado em uma versão anterior da notícia, Jaime Lerner foi nomeado prefeito de Curitiba em 1971 e 1979, e não eleito. O erro foi corrigido.

Política