PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
2 meses

Protestos nas capitais do Sul têm máscaras de jacaré e réplica de boi

Colaboração para o UOL

24/07/2021 16h32Atualizada em 24/07/2021 21h27

Nas capitais da região Sul do país, integrantes de partidos de oposição e de movimentos sociais e LBGT+ se reuniram nesta tarde para pedir a saída do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em Porto Alegre, a réplica de um boi foi levada para o ponto de concentração e, em Florianópolis, alguns manifestantes usavam máscaras de jacaré (veja abaixo).

Já em Curitiba, duas pessoas subiram em uma motocicleta e representaram as motociatas organizadas por Bolsonaro. Na carona, um manifestante fazia alusão ao presidente da República enquanto outro conduzia o veículo com uma máscara da morte - do filme Pânico.

Florianópolis

Na capital catarinense, máscaras de jacaré foram usadas por manifestantes em uma referência à declaração de Bolsonaro, feita no ano passado, quando criticou o imunizante da Pfizer contra o coronavírus. Na época, o político disse que a farmacêutica não se responsabilizaria se as pessoas virassem jacarés após serem vacinadas contra a doença.

No ato de Florianópolis, os manifestantes se concentraram inicialmente no Largo da Alfândega, no Centro da cidade, e depois partiram em caminhada.

Segundo o presidente do Instituto Arco-íris de Direitos Humanos, Denilson Machado - que integrou a organização do protesto, cerca de 30 mil pessoas participaram do ato. A Polícia Militar não divulgou estimativa.

O protesto na capital catarinense iniciou próximo das 13h e se encerrou por volta das 16h30, sem incidentes.

Porto Alegre

Já em Porto Alegre a réplica de um boi foi colocada em frente à prefeitura, ponto de concentração do protesto. Nele foram escritas frases contra Bolsonaro, chamando o político de "genocida" e pedindo a saída dele. Uma faixa verde e amarela foi colocada no pescoço da réplica do animal.

A organização estimou a participação de 95 mil no ato da capital gaúcha — a Brigada Militar não divulgou levantamento de público. Após a concentração, o grupo partiu em caminhada pelo Centro da cidade. O protesto encerrou por volta das 18h30, conforme a presidente do PT municipal, Maria Celeste.

Curitiba

Em Curitiba, a manifestação iniciou na praça Santos Andrade, em frente ao prédio histórico da UFPR (Universidade Federal do Paraná), e logo após, o grupo partiu em caminhada pelas ruas e avenidas da cidade.

Um manifestante usou uma máscara com o rosto de Bolsonaro e subiu na carona de uma motocicleta. Na frente dele, outra pessoa conduzia o veículo, com máscara da morte - do filme Pânico.

O protesto durou cerca de quatro horas, encerrando após as 18h. Não foram apresentadas estimativas de pública pela organização e pela Polícia Militar.

Política