PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Manifestantes protestam no centro do Rio contra o presidente Bolsonaro

Carolina Farias

Colaboração para o UOL, no Rio

24/07/2021 15h00Atualizada em 24/07/2021 17h43

A manifestação contra o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Rio de Janeiro tomou quase toda a avenida Presidente Vargas, no centro, na manhã de hoje (24). Ao menos cinco quarteirões da via foram ocupados pelo protesto.

Chamados de #24JForaBolsonaro, os protestos ocorrem em outras cidades do país. Além do Rio, quinze capitais já tiveram manifestações neste sábado: Maceió, Recife, São Luís, Salvador, João Pessoa, Teresina, Belém, Palmas, Boa Vista, Goiânia, Campo Grande, Cuiabá, Florianópolis, Porto Alegre e Curitiba. Em São Paulo, a concentração do ato contra o presidente ocorre a partir das 16h.

Os organizadores do protesto no Rio de Janeiro —frente Povo Brasil sem Medo, Povo na Rua, além de partidos e sindicatos — estimam um público de 75 mil pessoas. A Polícia Militar, que acompanhou todo o protesto, não informou sua estimativa de participantes.

Este foi o quarto ato contra o presidente Bolsonaro no Rio. Diversos grupos participaram, de professores a petroleiros, trabalhadores da saúde, aposentados, pessoas LGBTQIA+.Políticos também marcaram presença.

A maior parte dos manifestantes usava máscaras de proteção contra a covid-19. Em muitos trechos, havia respeito ao distanciamento recomendado entre pessoas.

O deputado Alessandro Molon (PSB-RJ) participa de ato contra o governo federal no Rio - Carolina Farias/UOL - Carolina Farias/UOL
O deputado Alessandro Molon (PSB-RJ) participa de ato contra o governo federal no Rio
Imagem: Carolina Farias/UOL

Em dois momentos, houve princípios de confusão. No primeiro, por volta do meio-dia, um grupo de manifestantes independentes entrou na frente de uma ala partidária no cortejo, iniciando uma briga, contida pelos próprios manifestantes. Já por volta de 13h, um grupo de black blocks provocou policiais militares com palavrões. Houve empurra-empurra. A confusão se encerrou rapidamente após pedido dos organizadores em um caminhão de som.

Ao longo do trajeto, o ato ocorreu no espírito de bloco de carnaval carioca, com cantos e marchinhas. "Bolsonaro vai cair, vai cair. Bolsonaro vai cair", cantaram, além de palavras de ordem como "fora Bolsonaro" e "Bolsonaro miliciano".

Participação de políticos e artistas

O ator Paulo Betti e políticos da oposição, como o vereador do Rio Chico Alencar (PSOL) e os deputados federais Alessandro Molon (PSB-RJ) e Jandira Feghali (PCdoB-RJ) marcaram presença no ato.

O ator Paulo Betti durante manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro, no Rio - Carolina Farias/UOL - Carolina Farias/UOL
O ator Paulo Betti durante manifestação contra o presidente Jair Bolsonaro, no Rio
Imagem: Carolina Farias/UOL

"De todo presidente eleito, desde a República velha até agora, Bolsonaro é o pior deles. É um neofascista que entregou o governo ao centrão corrupto", afirmou Alencar, que a todo momento parava para atender aos pedidos de fotos.

Já Molon afirmou que os protestos contra Bolsonaro aumentam cada vez mais.

"Cresce a vontade pelo afastamento de Bolsonaro para a manutenção da democracia. Não aceitaremos que não tenha eleição em 2022, com ou sem voto impresso", disse.

Jandira também falou sobre o crescimento do movimento: "Vi aqui hoje todas as bandeiras, do arco-íris ao vermelho. Muitas pautas, das ambientais as religiosas. Muitas dessas bandeiras feitas em casa com esperança e indignação".

O ato terminou por volta das 14h. Às 14h20 o trânsito foi totalmente liberado na avenida Presidente Vargas.

Política