PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
5 meses

PSOL vai ao STF para barrar desfile com tanques; Toffoli será relator

Do UOL, em São Paulo

09/08/2021 15h41Atualizada em 09/08/2021 21h47

O PSOL entrou com um mandado de segurança para impedir o desfile militar previsto para acontecer amanhã em Brasília. No ofício, encaminhado ao presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux, o partido afirma que o ato "se apresenta como flagrante abuso de autoridade" e que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) "rompe a legalidade e viola" artigos da Constituição. O ministro Dias Toffoli foi sorteado como relator do pedido.

No texto, o PSOL ressalta que, apesar de o ato acontecer desde 1988, "nunca o comboio entrou na Praça dos Três Poderes para fazer convite à presidente da República" e que isso acontecia em gabinete, de forma protocolar.

"É inadmissível qualquer ameaça, mesmo que simbólica, porquanto séria, eis que vinda do presidente da República e das forças armadas, de quebra da ordem democrática", escreve.

Mais cedo, o PSOL já havia anunciado a intenção de entrar com mandado de segurança.

"PSOL vai entrar com mandado de segurança para impedir desfile militar durante a votação do voto impresso, nessa terça. O caso é grave. O Brasil não vai aceitar intimidações golpistas!", publicou o partido no Twitter.

O UOL apurou que o Exército participará da atividade, porém apenas blindados da Marinha desfilarão.

O desfile foi criticado pela oposição. O senador e vice-presidente da CPI da Covid, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse ser uma demonstração de "covardia".

Política