PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Coautor da carta, Temer diz que Bolsonaro mandou avião da FAB buscá-lo

Do UOL, em São Paulo

09/09/2021 18h19

O ex-presidente Michel Temer (MDB) contou que o atual mandatário, Jair Bolsonaro (sem partido), convidou-o hoje para ir a Brasília e mandou um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) buscá-lo para que eles pudessem almoçar juntos e conversar sobre a crise entre os Poderes. Temer disse, em entrevista ao programa Brasil Urgente, da Band, que apresentou um esboço de uma carta para Bolsonaro, posteriormente divulgada pelo presidente em um esforço de pacificação.

Eu vim, trouxe até um esboço de uma declaração, submeti a ele no almoço, ele fez uma observação só e disse 'olha eu vou só fazer uma pequena observação aqui' e eu falei 'olha então vou visitar o governador Ibaneis [Rocha, governador do DF] e volto em seguida para ver a nota com a modificação'. Voltei, ele me deu a nota, que é essa nota que foi divulgada."
Michel Temer, ex-presidente do Brasil

Temer relatou que já havia sido consultado pontualmente por Bolsonaro em outras situações e que ontem o telefonou para conversar sobre a situação do país. "Eu conversei com ele dizendo que era preciso pacificar o país, que o estilo ideal seria uma obediência à harmonia dos poderes, obediência às decisões judiciais, e dar uma palavra de tranquilidade para o país", disse.

Segundo Temer, Bolsonaro voltou a entrar em contato na manhã de hoje, quando sugeriu que o avião da FAB poderia buscá-lo. O ex-presidente contou ainda que já chegou em Brasília com um esboço de declaração e que Bolsonaro fez apenas uma pequena alteração, mas não detalhou qual mudança foi essa.

Temer disse que apesar de já ter conversado com Bolsonaro em outras ocasiões, o convite desta vez foi surpreendente: "É claro que foi uma surpresa, porque a situação estava muito tensa, muito preocupante". Ele disse ainda que decidiu se envolver na questão após ter sido procurado por várias pessoas que o incentivaram, argumentando que ele tem uma "voz ponderada".

E foi por isso que eu comecei a entrar nesse assunto, mas, confesso a você, eu entrei de ontem para hoje, mas graças a Deus em pouquíssimo tempo nós conseguimos encaminhar bem a questão."
Michel Temer, ex-presidente do Brasil

Relação com Alexandre de Moraes

Michel Temer contou ainda que ontem também conversou com o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes. Segundo ele, o magistrado disse que não tem nenhum problema pessoal com o presidente e que decide juridicamente.

"Acho que ambos (Bolsonaro e Moraes) dizem que querem trabalhar pelo Brasil. E se há essa convergência de desejos, não há porque fazer divergências. As divergências podem ser jurídicas, mas nunca divergências pessoais", disse Temer.

Ainda hoje e também por intermédio do ex-presidente, Bolsonaro telefonou a Alexandre de Moraes. Segundo apuração da Folha de S.Paulo, o conteúdo da conversa foi institucional e Bolsonaro adiantou o que divulgaria posteriormente na carta.

Alexandre de Moraes é alvo frequente de bolsonaristas, principalmente por ter determinado a instauração do inquérito das fake news, que tem como alvo organizadores de atos antidemocráticos, apoiadores de Bolsonaro. No ato de 7 de setembro em São Paulo, o presidente chegou a dizer que não respeitaria mais decisões judiciais de Moraes.

Política