PUBLICIDADE
Topo

Política

Doria promete vice mulher em possível candidatura ao Planalto pelo PSDB

Governador João Doria (PSDB-SP), pré-candidato à presidência da República, e a ex-governadora Yeda Crusius (PSDB-RS) em evento das prévias, em São Paulo - Divulgação/PSDB
Governador João Doria (PSDB-SP), pré-candidato à presidência da República, e a ex-governadora Yeda Crusius (PSDB-RS) em evento das prévias, em São Paulo Imagem: Divulgação/PSDB

Lucas Borges Teixeira

Do UOL, em São Paulo

18/09/2021 17h44

O governador João Doria (PSDB-SP) prometeu chamar uma mulher para compor a sua possível chapa à Presidência da República em 2022. O paulista disputará as prévias do partido em novembro e, dentro do partido, tem como principal concorrente o governador gaúcho Eduardo Leite.

Em evento oficial de pré-campanha com o PSDB Mulheres neste sábado (18), Doria falou que já está articulando a procura por uma mulher para compor a chapa tucana. Presente, a ex-governadora gaúcha Yeda Crusius (PSDB) declarou apoio ao paulista.

"Além de dialogar com vários outros partidos, vamos buscar uma mulher para ser vice do PSDB à presidência da República", declarou Doria em uma mesa composta por mulheres, em um local de eventos na zona sul de São Paulo.

Esta seria a primeira vez que o governador disputaria uma eleição com uma vice mulher. Nos dois únicos pleitos que disputou, teve ao seu lado o ex-prefeito Bruno Covas (PSDB), morto em maio, para a Prefeitura de São Paulo em 2016, e Garcia, então filiado ao DEM, para o governo estadual em 2018.

Nas eleições de 2018, o PSDB também teve uma vice-candidata a presidente na chapa de Geraldo Alckmin (PSDB), a ex-senadora Ana Amélia (PP-RS), hoje secretária Extraordinária de Relações Federativas e Internacionais do Rio Grande do Sul e apoiadora de Leite.

"Lugar de mulher é onde ela quiser estar. Aqui no estado de São Paulo se respeita a mulher. E quem não quiser respeitar, tem a lei. Aqui temos 138 Delegacias da Mulher", declarou o governador no encontro com mais de 4 mil mulheres.

Prévias em novembro

Na ocasião, a seccional feminina do PSDB assinou uma carta-compromisso com o governador paulista para as prévias internas do partido, que serão disputadas em novembro.

Atualmente, apesar de ainda circularem os nomes do ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio e do senador cearense Tasso Jereissati, a disputa está, basicamente, entre Doria e Leite.

"O PSDB é conhecido como um partido do muro, mas é porque a gente gosta de subir e olhar os dois lados. Tenho 30 anos de relação com Doria, de política vivida. Eu, pessoalmente, sou João Doria", declarou Crusius, em entrevista no evento.

Um aceno da ex-governadora, conterrânea de Leite, e da ala feminina, é mais um endosso à candidatura do paulista, ainda favorito ao pleito, embora apoito ao gaúcho esteja crescendo dentro do partido, especialmente entre os grupos mais jovens.

Política