PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
15 dias

Hang nega envolvimento no aplicativo TrateCov, e CPI o confronta com vídeo

Do UOL, em São Paulo

29/09/2021 15h46

O empresário Luciano Hang, dono da Havan, negou hoje durante seu depoimento na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid que tenha se envolvido com o aplicativo TrateCov, do governo federal. No entanto, Hang foi confrontado pelo relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL), que exibiu um vídeo no qual o empresário divulga o aplicativo antes de seu lançamento.

O relator pediu que fosse mostrado um vídeo que foi publicado nas redes sociais de Luciano Hang. Nas imagens, ele conversa com duas médicas, Helen Brandão e Luciana Cruz, e explica o funcionamento do TrateCov.

Em seguida, o relator perguntou a Hang qual era o envolvimento do empresário com o TrateCov, ao que ele respondeu que não participou da elaboração do TrateCov. Porém, o vídeo foi publicado nas redes de Hang no dia 9 de janeiro, quatro dias antes do lançamento oficial, que aconteceu no dia 13.

"Se eu tenho uma rede social, vou entrevistar pessoas que acho que possam ajudar", disse. Em seguida, como os senadores insistiram na questão, ele afirmou que foi informado do aplicativo pelas médicas: "Só fiquei sabendo através delas, como elas explicaram, das pessoas que estavam por trás disso, que era uma pontuação que chegaria a conclusões rápidas se a pessoa estaria com covid-19".

A CPI da Covid foi criada no Senado após determinação do Supremo. A comissão, formada por 11 senadores (maioria é independente ou de oposição), investiga ações e omissões do governo Bolsonaro na pandemia do coronavírus e repasses federais a estados e municípios. Tem prazo inicial (prorrogável) de 90 dias. Seu relatório final será enviado ao Ministério Público para eventuais criminalizações.