PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
1 mês

Roberto Jefferson provoca Moraes sobre vídeo: 'Maldição sobre perversos'

Ministro do STF Alexandre de Moraes pediu explicações sobre circunstâncias em que vídeo de Jefferson foi gravado - Valter Campanato/Agência Brasil
Ministro do STF Alexandre de Moraes pediu explicações sobre circunstâncias em que vídeo de Jefferson foi gravado Imagem: Valter Campanato/Agência Brasil

Do UOL, em São Paulo

19/10/2021 16h37Atualizada em 19/10/2021 16h42

O ex-deputado federal Roberto Jefferson respondeu hoje ao ofício do STF (Supremo Tribunal Federal) que cobrava explicações sobre um vídeo em que aparece orando "em desfavor do Xandão", como chama o ministro Alexandre de Moraes, integrante da Corte. Na declaração, colhida em Bangu 8, onde está detido, Jefferson provoca Moraes e diz que a gravação é um salmo que trata da "maldição sobre os ímpios e perversos".

Ele também diz que o vídeo foi feito dentro do hospital, na manhã em que retornaria à cadeia. Logo as restrições impostas pelo ministro não valeriam mais. "O vídeo foi produzido dentro das dependências do Hospital Samaritano Barra, no dia 14/10/2021, pela manhã; que trata-se do salmo 109, versus 6 até 19 da Bíblia Sagrada, "a maldição sobre os ímpios e perversos", que produziu em função da decisão do Ministro ter perdido a eficácia", afirmou.

A lei da mordaça perdurou tão somente enquanto a internação hospitalar; voltando para o presídio, a mesma perdeu seu objetivo, afirmou.

Ontem, Moraes ordenou que a Secretaria de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro e a diretoria do Hospital Samaritano da Barra da Tijuca explicassem as circunstâncias da gravação e divulgação do vídeo. Em setembro, o ministro permitiu que o ex-parlamentar fosse transferido do presídio ao hospital carioca para tratamento médico. Durante o período, porém, Jefferson não poderia receber visitas, acessar as redes sociais ou conceder entrevistas.

Entretanto, em um vídeo reportado inicialmente pela coluna do Guilherme Amado, do site Metrópoles, é possível ver e ouvir Jefferson lendo o que seria um trecho bíblico e profetizando males a Moraes, dizendo repetidamente que ora "em desfavor do Xandão".

"Seja o meu acusador Xandão vestido de desonra, e que a vergonha o cubra", profere Jefferson No final da gravação, o líder do PTB pede que Deus "esmague a tirania". "Não se faz concessão, meu Deus, aos tiranos e à tirania. A tirania se esmaga, pai", diz.

Política