PUBLICIDADE
Topo

Política

Conteúdo publicado há
3 meses

Botelho: Inconstância de Moro aponta por que não decolou e não vai decolar

Do UOL, em São Paulo

19/01/2022 13h48

Para o advogado e colunista do UOL Augusto de Arruda Botelho, a candidatura do ex-juiz e ex-ministro Sergio Moro (Podemos) ainda não decolou e não vai decolar. Segundo ele, Moro é inconstante e por isso não tem chances de ganhar a presidência da República.

Botelho comentou a declaração da presidente do Podemos, Renata Abreu, que disse que o União Brasil (a junção do DEM com o PSL) pediu que Moro migrasse para o partido.

"Essa inconstância de Moro obviamente faz e mostra que a sua inabilidade, sua inexperiência política pode ser um fator a mais para justificar o porquê ele não decolou, e a bem da verdade parece que não vai decolar, nessa eleição para presidente", disse Botelho no UOL News de hoje.

Ele ainda questionou: "Ainda que obviamente a gente entenda construções políticas, alianças, haveria necessidade de se alterar um partido político?"

Na mesma edição do UOL News, o cientista político Fernando Abrucio também analisou o tema e, segundo ele, no caso da mudança de Moro, poderia ser feito um acordo para que Renata Abreu fosse a vice da chapa dele na disputa às eleições presidenciais.

Abrucio também apontou alguns empecilhos para essa eventual aliança. Um dos principais seria na Bahia, com o ex-prefeito de Salvador ACM Neto (DEM), que quer disputar o governo do estado e poderia ser atrapalhado pela proximidade com Moro.

Outro ponto que pode impedir essa aliança é o MBL (Movimento Brasil Livre), que está se filiando em bloco ao Podemos e com apoio declarado a Sergio Moro.

Ainda neste tema, Botelho lembrou que grande parte dos parlamentares que vão compor o União Brasil são hoje filiados ao PSL e alinhados ao presidente Jair Bolsonaro (PL), inimigo de Moro.

Nesse cenário de incertezas, Abrucio afirmou que se Moro conseguir crescer nas pesquisas e atingir algo em torno de 15% das intenções de voto até o final de março, muitas alianças partidárias vão se reorganizar. "Causaria um rebuliço", disse.

Botelho, por sua vez, disse que aposta que Moro anunciará sua candidatura ao Senado ainda nas próximas semanas.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado, ACM Neto é ex-prefeito de Salvador, o atual prefeito é Bruno Reis. A informação foi corrigida.

Política