PUBLICIDADE
Topo

Política

Indicado a líder do governo diz não avaliar convite por ser suplente ainda

O atual suplente do senador Antonio Anastasia, Alexandre Silveira, foi convidado para assumir a liderança do governo no Senado - PSD-MG/Divulgação
O atual suplente do senador Antonio Anastasia, Alexandre Silveira, foi convidado para assumir a liderança do governo no Senado Imagem: PSD-MG/Divulgação

Luciana Amaral, Carla Araújo e Gilvan Marques

Do UOL, em Brasília e em São Paulo

20/01/2022 17h20Atualizada em 21/01/2022 07h53

O suplente do senador Antonio Anastasia (PSD-MG), Alexandre Silveira (PSD-MG), confirmou ter recebido convite do presidente Jair Bolsonaro (PL) para ser o novo líder do governo no Senado. No entanto, disse ainda não poder avaliar o convite, pois ainda não tomou posse no lugar de Anastasia, que está de saída para ser ministro do TCU (Tribunal de Contas da União).

Oficialmente, não há data para a posse de Anastasia no tribunal.

"Recebi do presidente da República o convite para assumir a liderança do governo no Senado. Acredito que o convite se deu pela nossa capacidade de diálogo e disposição para discutir os projetos que interessam aos brasileiros, acima de qualquer ideologia ou questão partidária. Mas, como não estou investido do cargo de senador da República, não posso considerar a avaliação da proposta no momento. Meu objetivo é, com responsabilidade e muito trabalho, cumprir um mandato que orgulhe os mineiros e as mineiras, independente de governos ou ideologias", escreveu Silveira, no Twitter.

A função de líder do governo no Senado está vaga desde a saída do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) em meados de dezembro passado. Ele saiu ao perder a votação interna ao cargo de ministro do TCU para Anastasia.

Embora Silveira não seja o nome mais óbvio do grande público, ele é reconhecido nos bastidores do Senado pela habilidade na articulação política e por já ter contribuído com governistas em votações de interesse do Planalto e da equipe econômica, relataram senadores, sob reserva.

Além de ser apontado como um aliado próximo do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), Silveira tem boa relação com integrantes do governo, especialmente no Ministério da Economia.

Silveira faz parte da Executiva Nacional do PSD, foi deputado federal por dois mandatos e já dirigiu o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). Advogado de formação, o político também tem a simpatia de Bolsonaro por ser policial, já que Silveira é delegado de Polícia.

De acordo com auxiliares do presidente, por isso, a possibilidade de Silveira assumir a liderança surgiu de forma natural com a ida de Anastasia ao TCU.

Política