Conteúdo publicado há 4 meses

Janja diz que Lula não comparou judeus a nazistas: 'Se referiu ao governo'

A primeira-dama Janja Lula Silva defendeu o presidente Lula (PT) após ele comparar a guerra em Gaza ao holocausto.

O que aconteceu

Janja disse se orgulhar do marido. "Tenho certeza que se o Presidente Lula tivesse vivenciado o período da Segunda Guerra, ele teria da mesma forma defendido o direito à vida dos judeus", escreveu ela nas redes sociais.

"A fala se referiu ao governo genocida e não ao povo judeu", declarou.

Presidente condenou atuação de Israel em Gaza. "O que está acontecendo na Faixa de Gaza, com o povo palestino, não existiu em nenhum outro momento histórico. Aliás, existiu quando Hitler decidiu matar os judeus", disse ele em entrevista coletiva em Adis Abeba, na Etiópia.

Governo israelense declarou presidente "persona non grata" após declaração. O Ministério das Relações Exteriores de Benjamin Netanyahu, Israel Katz, disse que a fala foi um "ataque antissemita". "Em meu nome e em nome dos cidadãos de Israel, diga ao presidente Lula que ele é persona non grata em Israel até que retire o que disse", disse à imprensa, ao lado do embaixador brasileiro Frederico Meyer.

Mais de 29 mil pessoas morreram na Faixa de Gaza desde o início da guerra entre Israel e o Hamas, segundo o último boletim do Ministério da Saúde do território. O governo israelense lançou a ofensiva após um ataque do Hamas deixar cerca de 1.400 pessoas em 7 de outubro passado.

Autoridades declararam que maior hospital da região sul de Gaza está "completamente fora de serviço" após a invasão de soldados de Tel Aviv na última quinta (15). O local está sem fornecimento de água e energia, e ao menos sete pacientes morreram. O exército israelense diz investigar a presença de integrantes do Hamas no hospital.

Deixe seu comentário

Só para assinantes