Topo

Médico americano infectado pelo vírus ebola recebe alta

Em Atlanta

2014-09-26T09:42:50

26/09/2014 09h42

O médico americano Rick Sacra, que contraiu ebola na Libéria e foi levado aos Estados Unidos para ser tratado, recebeu alta nesta quinta-feira (25) no Centro Médico de Omaha, no Nebraska, onde esteve internado por mais de três semanas.

"Foi uma grande satisfação para toda equipe que tratou o doutor Sacra vê-lo passar por esta porta saudável novamente", disse em entrevista coletiva Phil Smith, diretor médico da unidade especial do Centro Médico de Nebraska, um dos quatro hospitais com capacidade para tratar este tipo de casos nos Estados Unidos.

Sacra, 51, recebeu alta após passar por três testes para detectar o vírus na sexta-feira (19), no domingo (21) e na segunda-feira (22).

Nesta semana, o centro médico de Nebraska informou que Sacra foi tratado com o remédio experimental TCM-Ebola.

Sacra recebeu também uma transfusão de sangue de Kent Brantly, outro médico americano infectado com ebola que foi tratado nos Estados Unidos e que se recuperou da doença.

A boa notícia de Sacra chega no mesmo dia em que foi revelada a morte do missionário espanhol Manuel García Viejo, infectado pelo ebola em Serra Leoa e que foi levado a Madri para tentar se recuperar da doença.

Mais sobre o ebola

A OMS (Organização Mundial da Saúde) elevou hoje a mais de 2.917 as mortes pelo vírus na África Ocidental, onde foram registrados 6.263 casos.

"Os CDC (Centros De Controle e Prevenção de Doenças) me declararam livre do vírus. Graças a Deus!", exclamou Sacra visivelmente emocionado durante a entrevista coletiva, na qual esteve rodeado por sua família e a equipe médica que o tratou.

Os doutores indicaram que estiveram em constante contato com especialistas dos CDC, da OMS e do pessoal médico da Casa Branca durante o processo.

"Compartilhamos tudo o que aprendemos enquanto tratávamos o doutor Sacra e seguiremos fazendo conforme tenhamos a oportunidade de revisar a informação relacionada a seu tratamento", assinalou Angela Hewlett, subdiretora da unidade especial na qual trataram ao paciente.

Os médicos assinalaram que por enquanto desconhecem quando poderia ser utilizao o sangue de Sacra para ajudar outros pacientes contagiados com o mortal vírus, mas estimam que deve passar pelo menos um mês após sua completa recuperação.

Sacra é o terceiro americano contagiado com ebola a ser levado para os Estados Unidos para receber tratamento.

Os outros dois são Brantly e a enfermeira Nancy Writebol, que foram transferidos para o Hospital Universitário de Emory em Atlanta, na Geórgia, e receberam alta há algum tempo.

Os três americanos foram infectados com o vírus enquanto trabalhavam como voluntários na Libéria.

Brantly e Writebol receberam tratamento com o soro experimental ZMapp, nunca antes usado em humanos.

Ao contrário de Brantly e Writebol, que trabalhavam atendendo pacientes com ebola, Sacra se encarregava de atender mulheres grávidas, por isso que se desconhecia até agora a causa de contágio, embora a equipe médica assinalou hoje que provavelmente ocorreu durante uma cesária.

Outro americano, que não teve a identidade confirmada, foi levado há três semanas ao Centro Médico de Emory para receber tratamento por conta do ebola.

Saiba mais sobre ebola

  • O que é o ebola?

    A doença é causada pelo vírus ebola e, no surto atual, já matou quase a metade dos pacientes diagnosticados com a doença. Tem sintomas como febre, vômito, diarreia e hemorragia.

  • Como se contrai o vírus?

    O ebola é transmitido pelo contato direto com sangue e fluídos corporais (suor, urina, fezes e sêmen) de pessoas contaminadas e de tecidos de animais infectados.

  • Quais países têm mais casos de ebola?

    Guiné, Libéria e Serra Leoa vivem surtos de ebola. Na Nigéria houve casos da doença, mas o vírus deixou de ser ameaça no país. EUA e alguns países europeus resgataram compatriotas infectados para tratamento.

  • Quem tem mais risco de contrair a doença?

    Parentes dos pacientes e os profissionais de saúde que tratam os pacientes com ebola são os indivíduos em maior situação de risco. Mas, qualquer pessoa que se aproxime de infectados ou de seus corpos sem vida se coloca em risco.

  • O ebola tem cura?

    Não há remédio que cure o ebola propriamente. Existem apenas medicamentos e vacinas experimentais sendo testadas no Canadá, nos Estados Unidos e na África, que surtiram o efeito desejado, isto é, zeraram a carga viral dos infectados. Quem sobreviveu ao tratamento continuará sendo monitorado por um tempo.

Mais Ciência e Saúde