PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
4 meses

MPE-SP questiona Doria e Covas sobre motivos para não adotarem lockdown total

Governador de São Paulo, João Doria (PSDB), durante entrevista coletiva sobre a pandemia de covid-19 no Palácio dos Bandeirantes - Divulgação
Governador de São Paulo, João Doria (PSDB), durante entrevista coletiva sobre a pandemia de covid-19 no Palácio dos Bandeirantes Imagem: Divulgação

Rayssa Motta

Do Estadão Conteúdo, em São Paulo

18/03/2021 18h31

A nova escalada da pandemia de covid-19 em São Paulo levou o Ministério Público do Estado a questionar o governo estadual e a prefeitura da capital sobre os critérios estabelecidos para não adotarem lockdown total.

Em ofícios enviados ao secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn, ao secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, e ao prefeito Bruno Covas (PSDB), a promotora Dora Martin Strilicherk pede esclarecimentos sobre as iniciativas implementadas para monitorar o cumprimento das restrições impostas no plano de combate ao novo coronavírus.

A promotora demonstra preocupação com o contágio no transporte público e também questiona a gestão João Doria (PSDB) sobre a articulação entra as Secretarias de Saúde e Segurança Pública para apoio da Polícia Militar na fiscalização das medidas de restrição às atividades não essenciais e de lazer.

Nos documentos, Dora diz que o índice de isolamento ainda não é suficiente para a redução das taxas de contaminação e ocupação dos leitos de UTI e de enfermaria. Hospitais do Estado já entraram em colapso e a capital registrou nesta quinta-feira, 18, a primeira morte na fila por vaga de internação. Quando considerado todo o Estado de São Paulo, foram 90 óbitos este mês, segundo levantamento feito pelo Estadão.

Mais cedo, Covas anunciou que a cidade de São Paulo vai antecipar feriados para reduzir a circulação de pessoas e alterar os horários do rodízio de veículos tentativa de diminuir a pressão sobre o transporte público. Já Doria informou, na segunda, que vai abrir um novo hospital de campanha dedicado aos pacientes da covid-19, com 50 leitos de UTI e outros 130 de enfermaria.

Coronavírus