Topo

Santa Casa no RS recebe aparelho inédito que ajuda doente a andar de novo

Luciano Nagel

Colaboração para o UOL, em Porto Alegre

21/12/2018 04h01

Pacientes do Hospital Santa Casa de Porto Alegre são os primeiros da América Latina a ter ajuda de um aparelho de reabilitação robótica para voltar a caminhar. Disponível para atendimentos pelo SUS (Sistema Único de Saúde), o equipamento Erigo ajuda pessoas com problemas neurológicos ou sofreram acidente vascular cerebral (AVC), por exemplo, a se recuperar de forma mais rápida.

A tecnologia está disponível no hospital desde o mês passado e já foi testada em cinco pacientes.

"Na oitava sessão, já me sentia 70% melhor", diz o aposentado Emílio Schneider, 50, que sofre de neuropatia motora. O problema dificulta movimentos - e o equipamento ajuda a recuperá-los.

"A sensação de caminhar e ficar e pé para quem não consegue é um avanço muito grande. As pessoas têm de imediato a percepção do resultado do tratamento. Eles (pacientes) ficam muito satisfeitos", disse ao UOL o coordenador de fisioterapia do hospital, Rodrigo Plentz.

Aparelho dá suporte e estímulo para paciente voltar a caminhar - Santa Casa / Divulgação
Aparelho dá suporte e estímulo para paciente voltar a caminhar
Imagem: Santa Casa / Divulgação
O aparelho funciona como uma maca na vertical, que dá apoio ao paciente e o coloca em pé. Ao mesmo tempo, simula movimentos de caminhada e envia estímulos elétricos aos músculos, ajudando na contração dos membros inferiores.

Fisioterapeutas vieram da Espanha para treinar os profissionais do hospital gaúcho.

"Estamos acostumados a fazer reabilitação nos pacientes e usar eletroestimulação, mas a associação desta prancha ortostática que estimula a movimentação dos membros inferiores por meio da eletroestimulação nos deu um resultado satisfatório e superior em vários aspectos, principalmente no controle motor precoce", disse Plentz.

Segundo o profissional, além de ganhos na mobilidade, o aparelho "melhora a musculatura, o coração, os pulmões e o sistema nervoso central. Tudo isto está interligado".

O aparelho é utilizado em pacientes que não estejam em estado considerado grave, mas tenham dificuldades de locomoção. A ideia é antecipar a volta à caminhada também em pacientes que fizeram grandes cirurgias -- o que os profissionais chamam de reabilitação precoce.

Da Suíça

O aparelho custou cerca de R$ 400 mil e foi comprado com recursos do Fundo Nacional do Idoso, que dá descontos em imposto para pessoas físicas ou jurídicas que fazem doações para esse fim.

"O equipamento veio da Suíça e é o primeiro a ser utilizado no Brasil e na América Latina. Somos pioneiros na importação desta tecnologia. Estamos em fase de experimentação com os pacientes", disse Plentz.

Ele calcula que o aparelho reduza em 30% o tempo de internação, já que, ao promover a caminhada precoce, acelera a evolução do paciente. Com menos tempo internado, o paciente também consome menos remédios e gasta menos recursos do hospital.

Mais Notícias