PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus: navio tem 99 casos; 14 americanos evacuados estão infectados

Do UOL, em São Paulo

17/02/2020 07h49Atualizada em 17/02/2020 13h47

Dos mais de 300 norte-americanos e parentes retirados do cruzeiro Diamond Princess ontem, no Japão, e que retornaram de avião aos Estados Unidos, 14 foram diagnosticados com coronavírus, anunciou hoje o Departamento de Estado do país. A notícia vem no mesmo dia em que autoridades do Japão confirmaram mais 99 casos de passageiros infectados no navio. Com isso, o número de casos no transatlântico chega a 454.

Os Estados Unidos começaram a retirar nesse domingo seus 400 cidadãos bloqueados no navio desde o início de fevereiro. O primeiro avião pousou hoje em uma base da Força Aérea na Califórnia, onde todos os passageiros serão submetidos a 14 dias de quarentena.

Em um comunicado, o Departamento de Estado informou que essas 14 pessoas foram "levadas da forma mais rápida e segura possível para uma área de contenção especializada no avião de evacuação para seu isolamento". Durante o voo, as pessoas permaneceram isoladas dos demais passageiros e foram monitoradas.

As autoridades japonesas não esclareceram se os 14 norte-americanos estão inclusos nos 99 novos casos. De todos os passageiros norte-americanos e seus acompanhantes que estavam no navio, 40 já haviam sido diagnosticados com o coronavírus. Ao todo, 3.711 pessoas a bordo do cruzeiro.

Hoje, a imprensa japonesa informou que 99 casos de coronavírus foram confirmados no navio — não foi confirmado se o número inclui os 14 norte-americanos. Até o momento, o ministério da Saúde não confirmou a notícia. Os novos contágios elevariam a 454 o número de casos detectados no Diamond Princess.

O novo coronavírus já deixou quase 1.800 mortos e 70.500 pessoas infectadas na China. Outros cinco pacientes faleceram fora da China.

"Os americanos serão tratados em hospitais no Japão. Não vão a lugar nenhum. Um pode estar infectado e ter sintomas mínimos, mas ainda assim infectar alguém. Ou pode estar infectado e sofrer um problema pulmonar significativo que requer hospitalização e talvez até uma intervenção séria", afirmou Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas (NIH) à rede CBS.

Alguns norte-americanos no cruzeiro disseram que vão recusar ser evacuados porque são assintomáticos, mas Fauci disse que todos os que estiveram no navio ficarão em quarentena quando voltarem aos Estados Unidos.

"A razão para isso é que o grau de transmissibilidade naquele cruzeiro é essencialmente semelhante ao de estar em um lugar perigoso. Há muita transmissibilidade nesse cruzeiro", explicou.

Itália, Canadá, Coreia do Sul, Hong Kong também anunciaram voos para levar de volta para casa seus cidadãos que estão no navio. Os países disseram que os passageiros têm que estar sem sintomas para embarcar nos voos e devem passar por quarentena quando chegarem.

O Diamond Princess realizava um cruzeiro com escalas na Ásia quando um passageiro que desembarcou em Hong Kong deu positivo para o novo coronavírus. Ao chegar à costa do Japão, o navio não recebeu autorização para atracar, e todos os passageiros foram colocados em quarentena. Os casos confirmados foram transferidos para hospitais japoneses especialmente equipados.

(*Com informações da AFP e Reuters)

Saúde