PUBLICIDADE
Topo

Japão fechará escolas para conter coronavírus e registra 1ª reinfecção

O coronavírus é uma realidade na Europa, principalmente na Itália - Roberto Casimiro
O coronavírus é uma realidade na Europa, principalmente na Itália Imagem: Roberto Casimiro

Do UOL, em São Paulo

27/02/2020 08h14

O primeiro-ministro japonês Shinzo Abe pediu hoje o fechamento provisório das escolas públicas do país, a partir da próxima segunda, para evitar a propagação do novo coronavírus. "O governo põe a saúde e a segurança das crianças acima de todo", disse Abe à imprensa.

"Pedimos a todas as escolas públicas infantis, de primário e de secundário (de todo país), que fechem temporariamente a partir de 2 de março e até as férias de primavera", que serão no final do mês que vem, completou.

No Japão, o número de casos confirmados aumentou de 170 para 186 entre ontem e hoje. Os 186 casos relatados pelo Ministério da Saúde do Japão são contados separados dos 704 registrados no navio Diamond Princess, que foi colocado em quarentena em Tóquio no início deste mês. Um total de sete pessoas morreram, incluindo quatro do navio.

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão informou hoje que membros da tripulação do navio que testaram negativo para o novo coronavírus começaram a desembarcar no porto de Yokohama, nas proximidades de Tóquio. Eles foram transferidos para uma instalação do governo na província de Saitama.

Segundo as autoridades, serão necessários vários dias para completar o desembarque de todos os 240 tripulantes. Eles serão testados novamente quando o período de quarentena de 14 dias chegar ao fim. Se os resultados retornarem negativos, terão permissão para deixar o Japão e retornar a seus países.

O novo coronavírus já infectou mais de 80.000 pessoas em todo o mundo e matou quase 2.800, a grande maioria na China continental.

Japonesa é diagnosticada pela 2ª vez

Uma guia turística japonesa foi diagnosticada com o novo coronavírus pela segunda vez. O caso foi registrado em Osaka. Esse é o primeiro caso do tipo no Japão, mas pacientes que foram infectados novamente pelo novo vírus já tinham aparecido na China.

A mulher, moradora de Osaka, no oeste do Japão, apresentou o segundo resultado positivo na quarta-feira, após desenvolver dores de garganta e no peito. Ela deu positivo pela primeira vez no final de janeiro e recebeu alta do hospital após se recuperar em 1º de fevereiro, segundo o comunicado divulgado pelo hospital. Ela permanece em quarentena.

O ministro da Saúde, Katsunobu Kato, pediu ao governo que revise as listas de pacientes e acompanhe as condições das pessoas que receberam alta anteriormente para avaliar o risco de pegarem o novo vírus pela segunda vez.

*Com informações da Reuters e AFP

Coronavírus liga alerta pelo mundo

Saúde