PUBLICIDADE
Topo

Silas Malafaia diz que não vai fechar igreja por causa do coronavírus

O pastor Silas Malafaia propõe combate ao coronavírus com oração - Mauro Pimentel/AFP
O pastor Silas Malafaia propõe combate ao coronavírus com oração Imagem: Mauro Pimentel/AFP

Herculano Barreto Filho

Do UOL, no Rio

14/03/2020 20h14

Resumo da notícia

  • Pastor faz oração com os fiéis, pedindo a Deus que o vírus não se espalhe pelo país
  • "A igreja tem que ser o último reduto de esperança para o povo", disse Silas
  • Pastor falou que irá colocar álcool gel na porta da igreja, como medida de prevenção

Em seu perfil no Twitter, Silas Malafaia publicou, hoje à tarde, um vídeo para encorajar as pessoas para ir à igreja. E questionou as recomendações de prevenção por causa dos casos do novo coronavírus no país.

Durante 15 minutos, o pastor inclusive faz o público repetir uma oração, pedindo a Deus que o vírus não se espalhe pelo Brasil.
"Repita essa oração comigo: 'Que esse vírus seja destruído da nossa nação pelo poder do nome de Jesus. Nós te pedimos que esse vírus não consiga fazer desgraça no nosso país'", pregou.

O posicionamento gerou críticas na internet. "É hora de evitar aglomeração", tuitou um internauta. O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, disse que cuidados básicos devem ser tomados para impedir o avanço do coronavírus. Além de lavar as mãos, cobrir a boca ao tossir ou espirrar e isolar pacientes com covid-19 por até 14 dias, o Ministério já recomenda a redução do contato social (evitar aglomerações, por exemplo) a pessoas sem sintomas.

"A igreja tem que ser o último reduto de esperança para o povo", disse pastor

No começo do vídeo, Silas reafirmou a importância de manter a igreja aberta para os fiéis. "A nossa igreja aqui vai ficar de portas abertas. Se amanhã, os governos disserem que vai [sic] impedir transporte público, fechar mercados, fechar todas as lojas. A igreja tem que ser o último reduto de esperança para o povo. Eu vou estar aqui, como pastor".

Ele também ressaltou a importância da prevenção. Disse, ainda, que irá colocar álcool gel para os fiéis na porta da igreja. Mas se referiu à repercussão no país ao coronavírus como uma "neura louca". "Nós não estamos subestimando nada. A doença é real, o vírus é real. Temos que estar antenados. Mas você tem que tomar muito cuidado para não entrar numa neura louca".

Durante o discurso ovacionado pelo público, Silas voltou a minimizar o problema: "Um bichinho desgraçado que a gente não vê nem a olho nu causa uma balbúrdia no mundo, na economia. As pessoas ficam apavoradas. Nós cremos que Deus está no controle de todas as coisas. E nós cremos no poder da oração. Porque essa é a nossa arma, gente! É o que nós temos!".

Saúde