PUBLICIDADE
Topo

Governador de GO assina decreto determinando fechamento de comércio

Governador de GO assina decreto determinando fechamento de comércio -
Governador de GO assina decreto determinando fechamento de comércio

Do UOL, em São Paulo

17/03/2020 23h38

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, assinou decreto na noite de hoje determinando a suspensão de atividades no comércio, como shoppings, bares, cinemas, entre outros. A medida, segundo o governador, é extremamente restritiva, mas contribui para diminuir a movimentação da população em tempos de pandemia do coronavírus.

"Dessa maneira, foram suspensos por 15 dias: atividades em feiras, inclusive feiras livres; atividades em shoppings, galerias ou polos comerciais de rua; atividades em bares e restaurantes, mas serviço de entrega é permitido; atividades em cinemas, clubes, academias, boates, teatros, casas de espetáculos e clínicas de estética", detalhou ele.

"É uma medida que eu sei que é extremamente restritiva. Mas eu quero dizer a vocês: vai, indiscutivelmente, garantir muito mais a saúde de todos os goianos. Vamos tomar medidas para bloquear feiras, shopping centers... A discussão nossa, junto com o ministro da Saúde, é também para bloquear o aeroporto. São ações continuadas para cada vez mais diminuir a movimentação da população. Com isso, neste momento, neste período de 15 dias para frente", completou.

Caiado ressaltou ainda que "estabelecimentos médicos e hospitalares, além dos laboratórios, farmácias, supermercados, distribuidoras de gás e postos de combustíveis continuarão funcionando normalmente."

O Ministério da Saúde divulgou na tarde de hoje que o número de casos oficiais de coronavírus subiu para 291 no Brasil. Há 8.819 casos suspeitos. Nesta manhã foi confirmada a primeira morte em função do covid-19, em São Paulo.

O estado com mais casos é São Paulo, com 164 casos confirmados, seguido pelo Rio de Janeiro (33 casos). Goiás contabiliza seis casos oficiais até agora.

Por conta da demora na tramitação oficial das informações cadastradas pelos estados na plataforma federal, há mais casos no país do que o informado no boletim oficial do Ministério da Saúde.

Mesmo se levados em consideração os dados estaduais, é provável que ainda assim o número não corresponda à realidade do país. Isso porque o Ministério da Saúde anunciou que nos estados em que há circulação comunitária da doença — São Paulo e Rio de Janeiro — o SUS priorizará testes em pessoas com maior risco de desenvolver casos graves.

Saúde