PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

MP abre inquérito contra empresário que teria violado quarentena na Bahia

Governador Rui Costa afirmou que uma das pessoas que estavam na casa de Vieira em Trancoso ouviu do próprio empresário a revelação de que ele estava com covid-19 - Divulgação/Governo da Bahia
Governador Rui Costa afirmou que uma das pessoas que estavam na casa de Vieira em Trancoso ouviu do próprio empresário a revelação de que ele estava com covid-19 Imagem: Divulgação/Governo da Bahia

Alexandre Santos

Colaboração para o UOL, em Salvador

18/03/2020 22h48Atualizada em 19/03/2020 11h08

O MP (Ministério Público) da Bahia determinou hoje a abertura de um inquérito policial para apurar a conduta do empresário que supostamente violou medida de quarentena ao viajar de São Paulo para o distrito de Trancoso, no município de Porto Seguro, a 743 km de Salvador.

Segundo a Secretária de Saúde do estado, após desobedecer recomendação médica, Cláudio Henrique do Vale Vieira acabou transmitindo o novo coronavírus para um homem de 43 anos contratado para trabalhar em sua casa, no litoral baiano. O empresário, por sua vez, alega que só soube estar infectado com a covid-19 três dias depois de realizar um exame na capital paulista.

De acordo com o MP, o requerimento para a instauração de inquérito foi enviado ao delegado Valfredo Borges Lima Neto, titular da 2ª DT de Porto Seguro, e a apuração será acompanhada pela promotora de Justiça Michelle Roberto Souto.

No requerimento, a promotora pede que sejam identificados e ouvidos todos os funcionários que trabalharam na residência de veraneio do empresário em Trancoso, médicos que o atenderam na região, agentes de vigilância epidemiológica locais, piloto e copiloto da aeronave que o transportou e demais pessoas que mantiveram contato direto com ele, como atendentes da praia que frequentou.

Conforme representação da PGE, Claudio Vieira fez o exame que o diagnosticou com a covid-19 no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, em 11 de março. No dia 12, viajou à Bahia acompanhado de mais 15 pessoas em uma aeronave particular.

Lá, permaneceu numa casa de praia por alguns dias, sem qualquer isolamento, na companhia da sua mulher e filha, além de outros familiares, amigos e nove funcionários. Uma segunda pessoa que teve contato com o empresário também foi diagnosticada com a covid-19.

O encaminhamento ocorre dois dias após o governador Rui Costa (PT) anunciar que o empresário seria processado criminalmente por ter cometido uma atitude "irresponsável". O MPF (Ministério Público Federal) também foi acionado para atuar no caso.

O objetivo é que Vieira seja responsabilizado nas esferas judiciais da Bahia e de São Paulo, uma vez que ele se deslocou entre os dois estados.

O empresário afirmou que o inquérito policial proposto pelo MP demonstrará a "falta de fundamento" das acusações. Ao UOL, a defesa de Vieira informou que, embora ainda não tenha sido oficialmente notificada sobre o pedido de investigação, ele está "à disposição para prestar esclarecimentos.

"O empresário está à disposição do MP da Bahia para prestar todos os esclarecimentos necessários. Entende que o inquérito é o meio adequado para a isenta apuração dos fatos, o que certamente vai demonstrar a falta de fundamento das acusações. O empresário reitera que é totalmente falsa a informação de que teria ignorado orientações médicas quanto ao coronavírus e, como já noticiado, vem seguindo rigorosamente as recomendações das autoridades de saúde", diz nota enviada à reportagem, sem especificar qual seria a "falta de fundamento" mencionada.

"Quarentena em Trancoso"

Uma foto compartilhada em uma rede social atribuída ao empresário Claudio Vieira, porém, sugere que ele tinha conhecimento de sua condição.

Na imagem, o empresário aparece sentado em uma cadeira de praia, usando apenas short e na companhia de outras quatro pessoas.

A selfie, que teria sido feita pela mulher de Vieira, é acompanhada dos seguintes dizeres: "Em quarentena em Trancoso!! Rsrsrs".

Questionado a respeito do registro, o empresário respondeu que não iria se manifestar. Os perfis atribuídos a ele e à mulher estavam fora do ar até a publicação da reportagem.

Governador relata consumo de álcool

O governador Rui Costa afirmou que uma das pessoas que estavam na casa de Vieira em Trancoso ouviu do próprio empresário a revelação de que ele estava infectado.

"Nós tivemos conhecimento [do caso] porque uma das pessoas que estavam trabalhando na casa ouviu ele dizendo, quando já havia consumido bastante bebida alcoólica, de forma irresponsável, que ele tinha (sido) confirmado (com covid-19). Ele tinha largado a confirmação do exame em cima da mesa, de onde ela fotografou e enviou a imagem", explicou o governador.

Empresário atua na área de finanças

Advogado e pós-graduado em Direito Processual Civil pela Unifor (Universidade de Fortaleza), Claudio Henrique do Vale Vieira é fundador e presidente do Grupo CVPAR, que atua no ramo de finanças em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Fortaleza.

Na carteira de clientes estão instituições públicas e privadas, como o Banco do Brasil e Bradesco.

Em seu site, a empresa de Vieira promete aos parceiros "soluções confiáveis, eficientes e principalmente seguras" como ferramentas de estratégia de negócios.

Coronavírus