PUBLICIDADE
Topo

Covid-19: Saúde anuncia que vai aplicar hidroxicloroquina em casos graves

Do UOL, em São Paulo

25/03/2020 17h18

O Ministério da Saúde anunciou hoje em coletiva de imprensa que vai começar a aplicar hidroxicloroquina em casos graves de covid-19 no Brasil. O tratamento será específico de curto prazo para oferecer "alguma alternativa" para os doentes.

"Vou apresentar protocolo específico de curto prazo, cinco dias de tratamento, para tratar pacientes hospitalizados", informou Denizar Vianna, secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos. "Sabemos que a letalidade deste grupo é muito alta, temos que oferecer alguma alternativa".

Vianna admitiu que ainda estão sendo concluídos os testes em humanos, mas que o Ministério considera a melhor opção tratar os doentes do coronavírus pelas pesquisas feitas anteriormente no Brasil.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou também que a hidroxicloroquina não deve ser utilizada de forma irresponsável e em casa.

"Usar esse medicamento fora do ambiente hospitalar não é seguro. Deve ser feito em condições de segurança e acompanhamento médico, porque pode ter alterações no ritmo do coração", disse.

Governo apresenta slide em coletiva sobre como pretende usar a cloroquina no combate à covid-19 - Divulgação/Ministério da Saúde
Governo apresenta slide em coletiva sobre como pretende usar a cloroquina no combate à covid-19
Imagem: Divulgação/Ministério da Saúde

"Hoje, o Brasil detém uma competência e capacidade de produzir o medicamento em larga escala. A partir de amanhã o Ministério da Saúde passa a distribuir para os estados 3.4 milhões de unidades de medicamento", completou o ministro, que considera que os benefícios do medicamento superam os riscos.

O Ministério da Saúde anunciou hoje que subiu para 57 o número de mortes por conta do coronavírus no Brasil — ontem, as autoridades contavam 46 vítimas. Ao todo, são 2.433 casos confirmados no país.

Os dados mais recentes apresentados ainda indicam as primeiras três mortes fora dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro: Amazonas, Pernambuco e Rio Grande do Sul.

Com 48 mortes, São Paulo ainda segue como o estado com o maior número de mortes por decorrência da covid-19, seguido do Rio de Janeiro, com 6, segundo dados do Ministério da Saúde.

Saúde