PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus: No Rio, Sambódromo recebe moradores de rua a partir de amanhã

Espaço dará prioridade a idosos, grávidas e mulheres acompanhadas de crianças - Hudson Pontes/Prefeitura do Rio
Espaço dará prioridade a idosos, grávidas e mulheres acompanhadas de crianças Imagem: Hudson Pontes/Prefeitura do Rio

Do UOL, em São Paulo

29/03/2020 19h24

O Sambódromo do Rio de Janeiro começará a funcionar a partir de amanhã como abrigo para moradores de rua da cidade durante a pandemia do novo coronavírus. A informação foi divulgada hoje pelo prefeito carioca, Marcelo Crivella (Republicanos).

A iniciativa tenta evitar a disseminação do vírus responsável pela covid-19. A prioridade no espaço, segundo a Prefeitura do Rio, será para idosos, grávidas e mulheres acompanhadas de crianças.

"As obras ficaram prontas hoje. O Sambódromo vai começar a acolher amanhã os moradores de rua, muitos deles concentrados no centro do Rio", disse Crivella.

O Rio informou ainda que 140 pessoas em condições de rua já foram levadas a abrigos da Prefeitura.

Além disso, a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SMASDH) já transformou em quartos oito salas de aula das três escolas municipais que funcionam sob as arquibancadas do Sambódromo.

O espaço tem capacidade para 400 pessoas e foi dividido em três segmentos: um para 128 homens adultos, um com 144 vagas para mulheres, gestantes e mães com crianças; e um com capacidade para 120 idosos.

Aulas para crianças com deficiências

Crivella afirmou ainda que, após autorização da comunidade médico-científica, as aulas devem ser liberadas para crianças com deficiências. No entanto, só voltarão às atividades os alunos que não tiverem doenças graves.

"A criança que não é cardiopata, não tem insuficiência renal, não tem problema de imunidade, e a mãe e o médico acham que ela pode voltar, não haverá obstáculo, mas isso, de toda forma, só acontecerá quando as escolas reabrirem, sendo que não há ainda qualquer prazo", explicou.

Ainda segundo a Prefeitura do Rio, os Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDIs) começarão na terça-feira a distribuir leite a mães de alunos. Para receber, elas terão que ligar nas escolas e agendar um horário de retirada, evitando aglomerações.

Coronavírus