PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Exoneração de Mandetta é publicada no Diário Oficial e Teich é anunciado

O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta - Marcello Casal Jr./Agência Brasil
O ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta Imagem: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Do UOL, em São Paulo

16/04/2020 21h02

A exoneração do agora ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União na noite de hoje. Na mesma edição, a nomeação do oncologista Nelson Teich como titular da pasta foi anunciada. O decreto foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido)

Mandetta anunciou hoje pelas redes sociais que foi demitido do cargo de ministro da Saúde após uma série de embates com o presidente — era esperado, há algum tempo, que ele fosse exonerado do posto. A saída foi comunicada em uma breve reunião entre os dois no Palácio do Planalto na tarde de hoje. Pouco depois, Bolsonaro fez um pronunciamento para divulgar que Teich seria o novo ministro.

"O que conversei com o doutor Nelson é que temos que abrir o emprego no Brasil gradativamente. Essa massa de humildes não tem como ficar preso em casa. E pior, quando voltar, não tem emprego", disse Bolsonaro durante o pronunciamento.

Embates

A relação entre Bolsonaro e Mandetta foi sempre marcada por poucos acordos no que se refere ao combate da pandemia do novo coronavírus. E muitos desses pontos ficaram claros no discurso do agora ex-ministro, que disse que a demissão era "insignificante".

Em mais de uma ocasião, acordos entre os dois eram rapidamente descumpridos pelo presidente, que desafiava o isolamento social, protagonizava aglomerações e defendia o uso da cloroquina mesmo quando o então ministro se mostrava reticente sobre seu uso no tratamento de pacientes diagnosticados.

No último final de semana, o presidente havia dito que a crise do coronavírus "parece que começa a ir embora". Hoje, Mandetta ressaltou: "Não pensem que estamos livres do pico dessa doença. O sistema de saúde ainda não está preparado para uma marcha acelerada".

Defensor do isolamento social, o médico mais uma vez desautorizou o presidente em sua orientação, e elogiou prefeitos e governadores pela adoção das medidas no combate à covid-19.

Coronavírus