PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Governador diz que covid-19 não atingiu pico no AM e prevê 15 dias críticos

 Wilson Lima (PSC), governador do Amazonas - Reprodução - 23.abr.2019/Facebook/WilsonLimaAM
Wilson Lima (PSC), governador do Amazonas Imagem: Reprodução - 23.abr.2019/Facebook/WilsonLimaAM

Do UOL, em São Paulo

22/04/2020 12h18

O governador do Amazonas, Wilson Miranda Lima (PSC), mostrou preocupação com o avanço do novo coronavírus no estado e disse, em entrevista à CNN Brasil, que os próximos 15 dias serão críticos.

De acordo com o governador, o trabalho para aumentar a capacidade de atendimento hospitalar está em andamento, mas como a doença não atingiu seu pico no estado, as cenas vistas na capital Manaus devem se repetir nos próximos dias.

"Ainda não atingimos o pico, devemos ter nos próximos 10, 15 dias um problema muito grave. Os números têm crescido de forma considerável", disse o governador.

"Nós estamos aumentando a capacidade (de atendimento hospitalar), mas vamos continuar vendo nos próximos dias essa cena de óbitos, infelizmente levando em consideração o que está acontecendo no Amazonas. É uma realidade que ninguém pode negar. É um avanço de doença que nenhum sistema do mundo estava preparado", disse.

Segundo o governador, a doença tem se mostrado bastante agressiva no estado, com pessoas que apresentam sintomas de manhã morrendo no mesmo dia. Wilson Lima ainda mostrou preocupação com as mortes ocorridas em casa.

"Estou muito preocupado, tenho conversado com prefeito para a gente encontrar como diminuir a disseminação. O vírus tem sido muito agressivo. Desses óbitos de ontem, pelo menos 39 foram em casa, que não deu tempo de chegar a hospital", disse, repetindo que o isolamento social é a única forma de controlar o problema.

O governador ainda citou a presença de pacientes com H1N1 e a falta de testagem como complicadores. "Não são só casos de covid-19, mas temos outros problemas como o H1N1. Tem um maior número de síndromes respiratórias agudas por ser o fim do que chamamos de inverno amazônico. E estamos com dificuldades de fazer a testagem, com muita gente não tendo a oportunidade. Há possibilidade de muitos desses casos terem relação com outras síndromes, ou de subnotificação", disse.

Oficialmente, o Amazonas tem 2.270 casos confirmados de covid-19, com 193 mortes. Manaus apresenta o pior quadro do estado e existe a preocupação de evitar a disseminação do interior.

"A situação do interior é controlada, temos de 10 a 15 dias para o pico do interior em relação à capital. É preciso impedir que ele chegue ao máximo do interior. Para que ele não avance com tanta rapidez, temos atuado para que as cidades controlem a circulação", disse o governador.

Por fim, Wilson Lima endossou o pedido do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, por ajuda internacional. "Tem o endosso do governo do estado. Esse é o caminho, o de pedir ajuda a quem pode nos ajudar. O governo tem uma relação próxima com algumas entidades. Quem quer ajudar de fato a Amazônia, primeiro tem que ajudar seu povo. E precisamos de respiradores, profissionais, equipamentos... Neste momento, vamos ver quem está interessado em ajudar. Antes de falar em prevenção da floresta, tem que ajudar o povo", disse.

Coronavírus