PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Hospitais do Rio instalam contêineres refrigerados para armazenar corpos

Imagem aérea mostra três contêineres refrigerados para armazenagem de corpos no pátio do Hospital Municipal Ronald Gazolla, no Rio de Janeiro - Reprodução/TV Globo
Imagem aérea mostra três contêineres refrigerados para armazenagem de corpos no pátio do Hospital Municipal Ronald Gazolla, no Rio de Janeiro Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

27/04/2020 09h52Atualizada em 27/04/2020 16h13

Os hospitais da rede municipal do Rio de Janeiro começaram a instalar contêineres refrigerados para aumentarem a capacidade de armazenagem de corpos de seus necrotérios.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde do Rio, a medida é preventiva para evitar que haja superlotação e para dar suporte às demais unidades de saúde da cidade.

No Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, referência para o tratamento de pacientes com coronavírus na capital fluminense, os contêineres serão usados para manter também corpos de vítimas com suspeita de covid-19 em UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) da região norte, até que as famílias providenciem os trâmites para o sepultamento.

Segundo a pasta, em nota enviada ao UOL, três contêineres foram instalados no pátio do hospital Ronaldo Gazolla com capacidade para 18 corpos cada um.

O hospital Souza Aguiar, ainda de acordo com a secretaria, terá um cointêner com capacidade para abrigar 18 corpos; além da unidade de saúde, ele também atenderá o Cer Centro, a Maternidade Maria Amélia e outras unidades da região central.

Já o Hospital Evandro Freire, na Ilha do Governador, alugou um contêiner com seis vagas e poderá ampliar a capacidade, se necessário.

"Confira, na íntegra, a nota enviada pela Secretaria de Saúde:

Os contêineres frigoríficos adquiridos pela rede municipal de Saúde do Rio são para aumentar, preventivamente, a capacidade de seus necrotérios e dar suporte às demais unidades de saúde de suas regiões

No Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, são três contêineres com capacidade para 18 corpos cada um, que serão usados para manter também corpos de pacientes mortos por suspeita de covid-19 em UPAs da região, até que as famílias providenciem os trâmites para o sepultamento.

No Souza Aguiar, um contêiner com capacidade para abrigar 18 corpos servirá para atender, além do hospital, o Cer Centro, a Maternidade Maria Amélia e eventual necessidade de outras unidades de Saúde da região do Centro.

O Hospital Evandro Freire, na Ilha do Governador, alugou um contêiner com seis vagas e poderá ampliar a capacidade, se necessário."

Coronavírus