PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
11 meses

Dois pacientes morrem após falta de luz em hospital de referência no Rio

Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, no Rio de Janeiro - Reprodução/Facebook
Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, no Rio de Janeiro Imagem: Reprodução/Facebook

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, no Rio

08/05/2020 22h29

Dois pacientes internados no Hospital Ronaldo Gazolla - referência no atendimento de pacientes com covid-19 no Rio - morreram na tarde de hoje, após a unidade ficar sem luz.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Médicos, Alexandre Telles, que trabalha no local, funcionários relataram que os dois pacientes estavam na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) e faziam uso de respiradores mecânicos. Os aparelhos teriam parado de funcionar devido a falta de energia e provocado paradas respiratórias nos pacientes.

"Os geradores não entraram. Isso ocorreu por volta de 13h20. É claro que precisa investigar melhor o que houve, mas essa falta de energia contribuiu para agravar o estado desses pacientes que estavam em ventilação mecânica. Isso mostra que o hospital aumentou o número de leitos e não houve planejamento na rede elétrica para suportar todos os equipamentos necessários", informou o médico.

Uma outra funcionária do hospital também atribuiu a morte dos pacientes à falta de energia.

"Faltou energia, o gerador demorou muito a funcionar e os respiradores pararam. Com isso, os dois pacientes, um rapaz e uma senhora, vieram a óbito", disse uma enfermeira do hospital ao UOL. Os funcionários não informaram se os pacientes tinham covid-19.

Procurada, a direção do Hospital Municipal Ronaldo Gazolla afirmou, por meio de nota, que não há relação entre a queda de energia ocorrida na unidade com as mortes mencionadas. "Os equipamentos que estavam em uso pelos pacientes - respiradores, monitores e bombas infusoras - continuaram funcionando com suas baterias próprias."

"A falta de luz na unidade ocorreu às 13h19, e o gerador foi imediatamente acionado, levando um minuto e 25 segundos para entrar em operação. A Light, responsável pelo fornecimento de energia na cidade, também foi acionada imediatamente."

O diretor do Hospital, Luis Fernando, também confirmou a falta de luz na unidade em um vídeo gravado e disponibilizado pela Secretaria Municipal de Saúde. "Estamos em um momento em que realmente estamos tendo uma demanda técnica muito importante, muito intensa, mas o hospital Ronaldo Gazolla está fazendo de tudo para ajudar a população da cidade", disse.

Coronavírus