PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Agência da UE prevê vacina contra coronavírus em um ano, sendo "otimista"

Igor Golovniov/SOPA Images/LightRocket via Getty Images
Imagem: Igor Golovniov/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

14/05/2020 06h44

A existência de uma vacina contra a covid-19 dentro de um ano é uma previsão "otimista", levando-se em consideração os testes atualmente em execução - estimou hoje a Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

"Existe a possibilidade de que, se tudo correr como planejado, algumas (vacinas) estarão prontas para serem aprovadas daqui a um ano", disse o diretor de estratégia da EMA, Marco Cavaleri, em uma videoconferência.

"São previsões baseadas no que vemos. Mas devo enfatizar novamente que isso seria, na melhor das hipóteses. Sabemos que as vacinas em desenvolvimento podem não ser autorizadas e desaparecer", acrescentou.

"Também sabemos que pode haver atrasos", alertou.

A EMA, com sede em Amsterdã, é "cética" em relação aos relatórios de que uma vacina pode estar pronta em setembro. Ainda assim, Cavaleri minimizou os temores da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a possibilidade de o novo coronavírus "nunca desaparecer".

"Eu acho que é um pouco prematuro falar, mas temos motivos para estarmos otimistas de que as vacinas estão chegando", reforçou.

"Eu ficaria surpreso se não conseguirmos encontrar uma vacina para a covid-19", completou.

A EMA também está estudando 115 tratamentos diferentes para o coronavírus. Sem especificar quais, Cavaleri disse que algumas destas terapias poderiam ser aprovadas na Europa ainda no início do verão no Hemisfério Norte.

Enquanto isso, alguns países, como Estados Unidos e China, têm hesitado em apoiar a campanha de financiamento global defendida pela União Europeia para pesquisa, fabricação e distribuição de uma possível vacina para a covid-19.

"Estamos contando com o diálogo e a cooperação, mas também precisamos contar que outros rejeitarão o diálogo e a cooperação. É por isso que precisamos de um plano B", disse Peter Liese, membro proeminente do partido União Democrata-Cristã (CDU) da chanceler alemã, Angela Merkel.

*Com informações das agências AFP e Reuters

Coronavírus